Você está aqui
Home > Fatos e Relatos > Crônicas de Bordo: A ver baleias…

Crônicas de Bordo: A ver baleias…




 

Noronha - Costa Favolosa - bridge

A vida de Snack Steward a bordo de um navio de cruzeiros não é a mais fácil e empolgante de todas, mas se você estiver disposto a ser feliz, seja qual for a sua posição, isso vai acontecer, não importa como.
Como Snack, uma das minhas funções no Mediterrânea era buscar os copos e pratos nos decks 10, 11 e 12 e trazê-los até o deck 9 para que fossem lavados. Normalmente eu não fazia isso sozinho, mas era sempre uma coisa que eu não gostava muito de fazer, a não ser pela oportunidade de fazer um mamagaio esperto lá em cima. Não gostava pois o sol na Europa estava absurdamente impossível de aguentar e eu usava roupa social com um avental por cima, uma das coisas que agradeci por não usar mais quando fui pro bar.

 




 

Em mais uma tarde de muito sol, estávamos à caminho da Grécia no roteiro que fazia Black Sea, e eu novamente tinha que subir nos decks para recolher tudo. Como sempre fazia, passei próximo aos bares da Back Pool para dar um “migué“, e olhar o rastro deixado pelo navio nas águas calmas, era uma das coisas que eu mais gostava de olhar.

Punta Del Este_Costa Serena1


Fiquei alguns minutos observando e pensando em várias coisas; tive que voltar ao trabalho, então resolvi subir para os decks. Recolhi as poucas coisas que haviam no deck 10 e subi para o 11, quando estava na escada para o 11º, ouvi um som que até então só tinha ouvido na TV, era algo como um sopro muito forte. Procurei, mas não tinha nada perto de mim nem nos decks próximos. Olhei para fora do navio, para o mar, para as calmas águas do mediterrâneo, e foi demais…

Na Proa da Vida - logo - npv

Eram mais ou menos 2 ou 3, não consegui contar direito, pois havia um filhote muito pequeno, que fazia uma graça de gente grande; era uma família de baleias, lindas, grandes e mostrando com todas as forças que estavam ali. Eu não sei se mais alguém conseguiu ver, pois foi estavam na parte de trás do navio, fiquei triste por não ter o meu celular, que não era tecnológico, mas poderia gravar. Mas fiquei feliz por ter presenciado, pois aquela imagem nunca mais saiu da minha mente, é como se eu tivesse gravado um vídeo que somente eu tenho acesso. Depois deste dia, eu passei a dar valor à todas as coisas que fazia a bordo e pensar que algo de bom me traria, se eu quisesse, poderia encontrar a felicidade em cada pôr do sol que tinha a oportunidade de presenciar em quanto estava nos decks. Estas coisas, pequenos momentos, ficarão pra sempre na memória… 

Noronha - Costa Favolosa3

 

Veja Também:

Siga nossos perfis nas redes sociais:

Bruno Miguel
Já morei numa casa de lata flutuante onde o maior prazer era descobrir os sete mares. Trabalhei nos maiores eventos esportivos do mundo e vi o Bolt voando para mais um ouro no Rio de Janeiro. Hoje viajo o mundo sem data de volta para casa, na verdade, tenho chamado o mundo de minha casa. Não conto quantos países conheci pelo número de carimbos no passaporte, pois às vezes conheço dez países dentro de um só. Mergulhador e amante do oceano, amo aprender novos idiomas e coisas novas e escrevo sobre algumas das minhas aventuras no Na Proa da Vida.
http://www.naproadavida.com/

Leave a Reply

Top
Close