Você está aqui
Home > Fatos e Relatos > Por que trabalhar em navio é diferente (?)

Por que trabalhar em navio é diferente (?)

Sunrise_nascer_do_sol - sunset_por_do_sol at black sea - europe


Porque lá não importa se você é diferente. Na verdade, se você trabalha em navio, em algo você já é diferente da maioria das pessoas que você conhece.

Crew Help - ajuda para trabalhar em navios de cruzeiros

Trabalhar em navio é diferente porque se tem a possibilidade de estar em cinco diferentes países em cinco dias, dormir na Grécia e acordar na Turquia. Na mesma semana estar em dois países em que um está no inverno e outro no verão. É diferente porque você passa a se conhecer, saber os seus medos, receios e limites.
Istambul
Homem com balões no porto de Istambul, Turquia

Não posso dizer que as mesmas coisas e situações que acontecem em terra não acontecem a bordo, mas com certeza, elas tem um efeito muito menor.

As pessoas tendem a viver de uma forma melhor, socializam e fazem amizades que com certeza não aconteceriam em terra, seja por qual for o ridículo motivo. Em grande parte das relações a bordo não interessa a sua cor, sua opção sexual, se você é rico ou pobre e todas as outras coisas que pra muitos (infelizmente) fazem diferença em terra. O que importa é quem você é, e o bem que a sua companhia pode fazer ou levar às pessoas.



Não importa a universidade que você estudou, até porque muitas funções nem pedem o seu curso, e ninguém quer saber se você estudou na (considerada) melhor ou pior, desde que você seja você e saiba que suas atitudes no trabalho influenciarão no dos outros. Diferente do que vivemos no mundo em terra, a bordo você não precisa de uma faculdade para provar algo pra alguém, para mostrar que você é bom e pode fazer a diferença, pois as oportunidades estão lá e quase sempre são iguais para TODOS.
Nunca é tarde! Não interessa a sua idade, você será bem-vindo. Existem pessoas de todas as idades trabalhando a bordo e todas tem oportunidades de crescimento, desde que esse seja o objetivo. O importante é ter em mente que independente da idade, podemos sempre aprender algo novo.
A divisão de regiões e estados é coisa de quem vive em terra. Pouco importa se você é do Norte, Nordeste, Sul ou Sudeste, o preconceito é vencido pela amizade na maioria das vezes. Se o seu sotaque é puxado ou estranho, fanho ou agudo não faz diferença, estamos todos no mesmo barco.
Costa_Favolosa_Punta
Costa Favolosa em Punta Del Este
Não interessa se você é da “tribo” que ganha muito ou pouco, essa divisão é esquecida quando o Crew Bar está lotado com um clima de festa. Pouco importa se você juntou muita grana ou gastou tudo, se está ficando rico ou não, a sua personalidade e amizade tendem a valer mais.



Muitas “coisas” que são consideradas importantes para se ter um “bom” relacionamento com alguém, simplesmente perdem o valor. Em terra muitas vezes ouvimos que o relacionamento só dura se os bens materiais impressionarem e trazerem um conforto ao outro. A bordo, na maioria das vezes ninguém quer saber se você tem um carro ou não, se é popular ou de luxo, você não pode usar mesmo. Estão cagando se o seu cartão de crédito é Platinum, Black ou qualquer outra porcaria de status que inventarem. Tampouco faz diferença a marca que está na etiqueta de suas roupas, tudo isso é facilmente adquirido com alguns euros ou dólares, e com o tempo você aprende a simplesmente não comprar. Não interessa se você tem um iPhone, Samsung ou qualquer outro tipo de celular, pois na grande maioria do tempo você não vai conseguir usar mesmo ou pagará muito caro pela internet.
Se a intenção é trabalhar a bordo, vai treinando o desapego, não só das pessoas, mas das coisas, das manias e preconceitos que existem e costumam ter em terra. Deixe o luxo e ilusão para os passageiros, que estão pagando para ver um mundo encantado.
Punta Del Este - Pier
Pier em Punta Del Este

A maior preocupação deve ser com a vida, que tem que ser bem vivida e aproveitada nestes meses no mar. Quanto menor for a preocupação com as coisas externas e que faziam parte da vida em terra, maior será o proveito tirado dessa experiência.
Crew Help - Banner com proa navio - 728x90
Tudo que escrevo, é com base no que vivi e vejo nas experiências de amigos. E como sempre digo, as pessoas terão outras perspectivas quando estiverem lá, mas se acharem que esse é um bom caminho, BONS VENTOS!
Veja Também:
 Siga nossos perfis nas redes sociais:
Bruno Miguel

Já morei numa casa de lata flutuante onde o maior prazer era descobrir os sete mares. Trabalhei nos maiores eventos esportivos do mundo e vi o Bolt voando para mais um ouro no Rio de Janeiro. Hoje viajo o mundo sem data de volta para casa, na verdade, tenho chamado o mundo de minha casa. Não conto quantos países conheci pelo número de carimbos no passaporte, pois às vezes conheço dez países dentro de um só. Mergulhador e amante do oceano, amo aprender novos idiomas e coisas novas e escrevo sobre algumas das minhas aventuras no Na Proa da Vida.

http://www.naproadavida.com/

One thought on “Por que trabalhar em navio é diferente (?)

  1. Puts, pior é que to quase a 9 meses sem aplicar mas nao consigo voltar a vida “em terra”. SImplesmente nao tem gosto algum. Entediante demais :/

Leave a Reply

Top