Você está aqui
Home > Fatos e Relatos > A vida (a bordo), como ela é… Por: Karen Pereira

A vida (a bordo), como ela é… Por: Karen Pereira




 

Karen - Blog1

Aqui não existe terças, quartas e quintas-feiras, muito menos sábados e domingos, pois todos os dias aqui são literalmente uma segunda-feira.

Aqui, os seus 2 segundos sentada/deitada/descansando vale mais que o seu salário em dólar!

Leia mais: Por que trabalhar em navio é diferente?


Aqui você escolhe se prefere dormir ou comer em sua uma hora de break. Se prefere tomar banho e lavar/secar o cabelo correndo para economizar tempo do seu próximo horário de ‘descanso’. Se prefere lavar roupa, organizar sua cabine (sim, a
cabin inspection existe. Atentem-se!) ou cortar suas unhas e dar um tapa na sobrancelha (me sinto um menino ás vezes, pois minha opção number one é sempre dormir HAHA).

 

Karen - vida a bordo
Ah, tem que decidir também se prefere sair do navio (às vezes com 5h livres, ás vezes 1h30 ou até mesmo 1h), para conhecer determinado país/local, tomar aquele suco mara, comer aquela comidinha que por segundos te leva de volta para sua terra, comer algo típico do local, comprar as lembrancinhas tão desejadas, tirar aquela foto tão sonhada naquele local que em muitos casos, não seria possível fazê-lo se não estivéssemos aqui.
Karen - Blog5



 

Karen - vida a bordo

Escolher também se depois de um puta dia de Brata (quase todos), se queremos ir para o Crew Bar desabafar com os amigos, tomar aquela gelada para dar uma relaxada (para quem bebe), dançar, rir, conversar sobre qualquer coisa que não seja o duty, mesmo que você não sinta seus dedos, suas pernas, seu ombro, e claro, ouvir as benditas músicas latinas (baaaaaailandooooo ohhhh ohhhh HAHAHAH)!

 

Karen - vida a bordo

 

 

Karen - vida a bordo

Aqui, aprendemos a olhar um todo. Aprendemos que o mundo não gira em torno de nosso umbigo. Aprendemos a ouvir mais e falar menos. Aprendemos o que é pressão (tipo Capitão Nascimento rs). Convivemos com milhares de pessoas. Inúmeras nacionalidades, personalidades, costumes, culturas e religiões diferentes. 

Aqui é tudo muito (multipliquem o muito 100 vezes) muito intenso. Quando você está triste, parece que tudo vai acabar naquele momento e que o sign off será assinado ali, sem pensar, sem razão e sim, emoção!

Leia mais: Mafiosos a bordo? Veja como funcionam as máfias dentro dos navios


Quando você está feliz, isso transborda. Se potencializa. Tipo isso, um sentimento muito louco, sem explicação.
Aqui você chora e sorri. Acredito que sorri mais do que chorei, mas aprendi que faz bem para a alma (ambos).
Aqui você se apaixona. Você se apega e desapega. Você conhece pessoas que em segundos se transforma em sua família de sangue, de luta e de glória!

Ter amigos aqui é fundamental. Essencial! A parceria faz com que você fique a cada dia que passa mais forte e isso faz com que você chegue até o final (quero continuar acreditando nisso haha).





Existem algumas coisas que dinheiro algum no mundo paga, tipo, assistir ao nascer do sol em algum mar qualquer (espetáculo de Deus), ou, ás 2h da madrugada, assistir a lua cheia iluminar nossos pensamentos, acompanhada de um céu imensamente estrelado e com inúmeras estrelas cadentes ouvindo seus pedidos feitos naquele momento.
Dançar com seu amigo ás 3h da madrugada na crew beach, a luz da lua Ed Sheeran (Thinking Out Loud), e se sentir grata por tudo isso que vem acontecendo.
Na Proa da Vida - mini logo
Deitar no chão e olhar as estrelas com seus amigos e perceber o quanto eles são importantes nessa história. O quando eles são incríveis, e que nada aqui seria igual sem eles!
Aqui, a cada dia, é menos um dia, ou talvez, mais um dia cheio de histórias!

Pois é, isso é trabalhar em navio de cruzeiros!

 

Karen - vida a bordo

Tiro o meu chapéu para todos, pois só quem vive aqui, sabe a delícia e a dor que é estar aqui rs!

Essa é minha Crew Life!

Veja Também:

Bruno Miguel
Já morei numa casa de lata flutuante onde o maior prazer era descobrir os sete mares. Trabalhei nos maiores eventos esportivos do mundo e vi o Bolt voando para mais um ouro no Rio de Janeiro. Hoje viajo o mundo sem data de volta para casa, na verdade, tenho chamado o mundo de minha casa. Não conto quantos países conheci pelo número de carimbos no passaporte, pois às vezes conheço dez países dentro de um só. Mergulhador e amante do oceano, amo aprender novos idiomas e coisas novas e escrevo sobre algumas das minhas aventuras no Na Proa da Vida.
http://www.naproadavida.com/

Leave a Reply

Top
Close