Você está aqui
Home > Destinos > O que fazer em Singapura: roteiro pela cidade-estado

O que fazer em Singapura: roteiro pela cidade-estado

Ficamos em Singapura por uns 15 dias fazendo house/pet sitting. Por isso, conseguimos conhecer bem esta cidade-estado que nos surpreendeu bastante. Sei que a maioria das pessoas tem menos tempo e, para otimizar, vou escrever tudo que visitamos e sinalizar os must see com um loguinho do @naproadavida, ok? Vamos lá:




O que fazer em Singapura

 Jardim Botânico Na Proa da Vida - mini logo npv - Singapura

Jardim Botânico - Singapura
Jardim Botânico – Singapura

Esta é uma das atrações que mais gostei de visitar no país. Além de dar check em mais um local da minha tão amada lista de patrimônios mundiais da UNESCO, ainda tivemos um dia super agradável e com gastos praticamente zerados. Vale a pena passar um dia inteiro no lugar e, se não tiver tanto tempo assim, vá somente para andar pelas ruas principais e dar uma volta no lago.

Valor da entrada: Gratuito.
Estação mais próxima: MRT Bayfront
Website

Nossa visita ao Jardim Botânico foi no dia 25 de Dezembro e foi muito legal ver centenas de filipinas comendo no parque, fazendo jogos, se dando presentes e comemorando o Natal também longe da família. O dia foi regado a gargalhadas fortes e situações inesperadas e isso deu um gostinho especial ao lugar.

Marina bay, Gardens by the bay e Marina Bay Sands Hotel Na Proa da Vida - mini logo npv - Singapura

Vista panorâmica da Marina Bay - Singapura
Vista panorâmica da Marina Bay

Quando você pensa em Singapura com certeza já vem logo em sua mente o famoso hotel com a piscina de borda infinita ou então a famosa floresta artificial. Sem dúvida alguma você tem que ir conhecer o cartão-postal da cidade-estado e se apaixonar por ela.

Veja onde ficar em Singapura, por diferentes bairros

Must see do Marina Bay:

  • Marina Bay Sands Hotel (um dos prédios mais fotogênicos do mundo)
  • Gardens by the Bay (Um dos maiores e mais famosos parques do mundo! Gostamos tanto da nossa visita que escrevemos mais sobre ele num post separado que confere aqui)
  • Show de águas e luzes que acontece em frente ao shopping chamado “Shoppes” (verificar os horários no site oficial)
Gardens by the Bay - Singapura
Gardens by the Bay

Para prestar atenção em meio a paisagem:

Merlion Park - Singapura
A famosa estátua do leão Merlion, símbolo da cidade-estado
  • Merlion (Dá para brincar bastante com a estátua e fazer fotos super divertidas)
  • Esplanade (Prédio super criativo que tem formato da tão amada e odiada fruta típica durian)
  • Singapore Flyer (Roda gigante incrível no meio do arranha-céus da cidade)
  • ArtScience Museum (Prédio em forma de flor de lotus maravilhoso)
  • Helix Bridge (Ponte linda, super iluminada e futurística. Vale a pena andar por toda ela e tirar fotos incríveis nos pontos de observação)
  • The Float (Campo de futebol que funciona como palco para shows que é uma plataforma flutuante).
  • Visitar a maior fonte do mundo que fica em frente ao Shopping Suntec City
  • Sem contar com os incríveis prédios comerciais que fazem com que a paisagem fique linda de qualquer ângulo.

Demoramos alguns dias para visitar a Marina Bay mas, depois que fomos pela primeira vez, sempre dávamos um jeito de dar uma paradinha lá no final do dia para apreciar a beleza do lugar e relaxar.

Marina Bay Sands Hotel - Singapura
Bruno empurrando com toda a força o hotel Marina Bay Sands

Os bairros étnicos de Singapura: Na Proa da Vida - mini logo npv - Singapura

Para quem não sabe, Singapura é uma mistura organizada de nacionalidades. Por isto, vale super a pena visitar os bairros étnicos e, além de comer super bem, ainda fazer umas comprinhas e se divertir. Os principais são: Chinatown, Little India e Kampong Glam (Bairro árabe). Nós, como tínhamos tempo, visitamos um por dia e foi a melhor decisão que tomamos. Mas, como sabemos que a maioria das pessoas não ficam tanto tempo como nós, aqui vão as dicas:

  • A distância a pé entre os três bairros é de 3 km. Você pode facilmente fazer a pé ou, se preferir, pegar taxis. A ordem para o trajeto depende muito de onde o seu hotel está. Sugiro que, se possível, deixe o bairro árabe por último já que tem barzinhos e cafés super gostosos e alternativos.
Mapa Bairros étnicos - Singapura
Fonte: Google Maps

Chinatown

Chinatown - Singapura
Bairro étnico de Chinatown em Singapura

Must see de Chinatown:

  • Pagoda Street (Para souveniers e fotos legais)
  • Templo hindú Sri Mariamman (Gratuito e bem interessante. Chegamos bem a tempo de uma cerimônia super tradicional e foi incrível)
  • Templo/Museu budista chinês Buddha Tooth Relic (Muito lindo e gratuito)
  • Chinatown Complex (Para comer e observar).

Se tiver mais tempo: dê uma andadinha a mais e visite um prédio super diferente chamado “Pinnacle”. Vale a foto 😛

Dica: Quando estiver em frente ao Chinatown Complex não deixe de dar uma paradinha e observar dezenas de senhores chineses jogando jogos de tabuleiro. É super interessante!

Sobre os templos: No dia que visitamos Chinatown nós, na verdade, planejávamos ir para a Marina Bay mas, quando vimos que o tempo estava meio feio, decidimos pular do ônibus na estação de Chinatown e visitá-la. Eu não estava nem um pouco preparada para entrar em templos e mesquitas naquele dia e a sorte foi que na entrada de cada espaço há um pequeno armário com roupas e lenços para usarmos na visita. Isto me salvou, já que com certeza não iria poder entrar nos templos com a roupa que estava.

Para comer: Nós escolhemos o prato típico do local, chamado duck rice e, para beber, um suco de rosas que se chama bundong juice. Não gostamos muito de nenhum dos dois mas, sempre vale a experiência.

(Valor do prato de pato: $3 cada. Valor do suco: $1).

Templo/Museu budista chinês Buddha Tooth Relic - Singapura
Templo/Museu budista chinês Buddha Tooth Relic

Mais sobre Singapura:

Little India

Little India Singapura
Templo Sri Veeramakaliamman no bairro étnico Little Índia em Singapura

Must see de Little India

  • Tekka Market (para babar nas roupas típicas maravilhosas e para comer super bem e barato)
  • Little India Arcade, Dunlop Street, Buffalo Road (para se surpreender com as lojas super tradicioanais e interessantes)
  • Templo Sri Veeramakaliamman

Se tiver mais tempo:

  • House of Tan Teng Niah (Casarão típico super colorido. É um ponto bom para tirar fotos)
  • Mustafa (É uma loja/prédio com tudo que você pode imaginar. É um pouco ocidental e tem departamento de doces, de mochilas e bolsas, de cama mesa e banho, entre outros…),
  • Hotel Park Royal (Construção incrível que vale uma foto)
  • St. Joseph’s Church
  • Chijmes (Prédio que antigamente era um convento e agora é um shopping super luxuoso).

Dica: Não deixe de visitar o andar superior do Tekka Market. Lá tem lojas de roupas típicas e, além disso, homens costurando as roupas na hora. Vale a pena perder uma meia hora só observando o movimento.

Para comer: nossa recomendação é comer chicken biryani. Para beber e espantar o inevitável apimentado da comida, tome o suco chamado Mango Lassi que é super doce e delicioso (Valor de um copo médio $2,50). De sobremesa, não deixe de provar o famoso e o nosso preferido gulab jamun. Nós enfezamos um pouco o dono do restaurante misturando a deliciosa sobremesa com sorvete de creme, mas esta combinação é irresistível! (Valor da sobremesa com o sorvete de creme: $4,50). O restaurante que encontramos este achado se chama “Appu’s curry” e fica na Buffalo Road.

Visitamos o bairro com um casal de americanos que conhecemos em Bangkok e o dia ficou muito mais divertido. Rimos muito no Mustafa, apresentamos a eles nossa sobremesa preferida (gulab jamun) e conversamos bastante. Esse casal é muito único já que eles andam descalços mesmo numa cidade asfaltada como Singapura e eles são muito divertidos, riem de tudo e nos fazem ficar mais bobos 😛

Little India, Singapura
Nas ruas de Little India, em Singapura

Bairro Árabe

Kampong Glam - Arab quarter - Singapura
Sultan Mosque símbolo do bairro árabe de Singapura

Must see do Arab Quarter

  • Sultan Mosque
  • Muscat Street e Arab Street
  • Haji Lane (Rua mais hipster de Singapura. Com barzinhos estilosos e cafés gracinhas. Vale super a visita, mesmo que durante o dia).

Dica: Tome cuidado com os horários de funcionamento da Sultan Mosque para não perder a visita. O espaço é aberto para o público de turistas todos os dias das 10:00 ás 12:00 e das 14:00 ás 16:00, exceto sextas-feiras que abre somente das 14:30 ás 16:00. Nós chegamos 20 minutos após o fechamento e não pudemos conhecer por dentro. Mesmo assim, valeu super a pena andar pelas ruas ali e ver o grande dome da mesquita cercado pelos lindos coqueiros.

Para comer: nós escolhemos dois pratos em dois restaurantes diferentes. O primeiro foi Kampong Glam Cafe e comemos o Nasi Goreng Daging que é um arroz frito com pedaços de ovo e bife. Recomendo que peça o de frango, não gostei muito do de bife e, por favor, não se esqueça de pedir NO SPICY (sem pimenta!). Para acompanhar o arroz tomamos o lime blue cola que é um drink azul bem gostoso. (Valor de um prato com suco: $7,50). O segundo restaurante, chamado Zam Zam, é super recomendado e tradicional. Lá pedimos o delicioso murtabak chicken e, para tomar, um limau juice. (Valor de um prato pequeno com suco: $7,50). Super recomendamos esta pedida e, não deixe de comer o prato com a mão, já que fica mais saboroso e típico.

Haji Lane, a rua mais hipster de Singapura

Adoramos tanto esta rua cheia de personalidade que, depois de ver os fogos de artifício de comemoração da passagem de ano na Marina Bay, fomos festejar nela. É uma delícia passar a tarde aqui, desvendando as lojas de decoração super descoladas, tomar um café em uma cafeteria, uma cerveja em um bar, um drink em outra e se divertir na rua que é muito fotogênica.

Haji Lane - Singapura
Se apaixonando mais ainda por Singapura na Haji Lane

 

Não viaje sem seguro viagem: um dos nossos maiores gastos dessa longa viagem é o seguro, mas sabemos que essa é de longe umas das coisas mais importantes e vimos isso quando o Bruno bateu a cabeça e precisou ser hospitalizado na Tailândia. Nós usamos o World Nomads e o suporte foi sensacional quando precisamos, outro grande parceiro brasileiro é a Real Seguro Viagem. Saúde durante a viagem não é brincadeira, não arrisque viajar sem seguro. 😉

 

Bugis street

Bugis Street - Singapura
Explorando a Bugis Street – Singapura

Esta rua, que mais parece uma mini 25 de março, é super interessante. Encontramos ela sem querer em nossa volta do bairro árabe e passamos bastante tempo explorando suas vielinhas. Lá você vai encontrar de tudo e, por isso, é um ótimo local para, além de se divertir, comprar souvenirs temáticos da cidade-estado. Vi milhões de ímãs de geladeira, chaveiros e camisetas com preços super abaixo do mercado (por exemplo, 3 ímãs por $10). Além disso, o lugar oferece barraquinhas de comida de várias nacionalidades com preços super bons (hambúrguer por $3).

Uma coisa curiosa desta walking street é que as lojas mais animadas, que tocam música pop super alto, são as que vendem suco (por incríveis $1 cada copo). Nós tomamos o “Milo juice” que é chocolate com água. Não recomendamos hahaha.

Churrasquinho no meio do “caos” da cidade

Nossos hosts, Clarissa e André, do blog A culpa é do fuso, nos levaram num food court incrível e bem no meio do centro comercial de Singapura. Dentre muitas outras opções, comemos uma porção de churrasquinhos (os famosos satays) diversos de frango, carne, muton e até cogumelo (que é uma delícia, por sinal). O lugar é super exótico porque você se vê rodeado de prédios e pessoas saindo do trabalho e você tomando uma cervejinha e se divertindo.

Valor médio de uma porção de satay: 21 dólares
Valor médio de uma jarra de cerveja: 20 dólares.
Endereço: Lau Pa Sat Satay

Wine Connection

Um bar/restaurante super legal para tomar um vinhozinho e comer uma pizza. Singapura é uma cidade um pouco cara, mas este lugar super aconchegante e animado tem valores de bebidas e comidas bem acessíveis.
Dica: Se for no Wine Connection não deixe de espiar a parte de trás do prédio, que é lindíssima.
Valor médio de uma pizza para dois e refrigerante: 30 dólares
Valor médio de uma garrafa de vinho: 30 dólares
Endereço: 613 Bukit Timah Road
Website

Orchard Road

Orchard Road - Singapura
Orchard Road colorida com as luzes de Natal

Esta rua é o paraíso dos compradores compulsivos 🙂 São centenas de lojas, diversos shoppings e muita, mas muita luz. Nós visitamos esta rua no Natal então você pode imaginar o quão brilhante ela estava. Foi bastante divertido caminhar pela rua, ver os shoppings super luxuosos e as luzes nas ruas.

Clarke Quay

Clark Quay - Singapura
Clarke Quay iluminando a noite de Singapura

Com vista para o rio, esta plataforma possui diversos bares, restaurantes e baladas. É um lugar super gostoso para passar o final de tarde/noite e até depois curtir uma baladinha. Atenção: os valores são bem salgadinhos, a maioria das baladas cobra para entrar e o dress code é bem chiquezinho.

Procurar o Singapore Flyer onde estiver e tirar fotos divertidas

Passamos um tempinho rindo e tirando fotos com este plano de fundo maravilhoso:

Singapore Flyer - Singapura
Roda gigante em Singapura

 

Parques temáticos

Para quem curte, Singapura conta com diversos museus e parques temáticos espalhados pelo país. O mais famoso é o parque da Universal em Sentosa. Confira no site mais informações sobre a atração clicando aqui.

Resumo:

Estas são as nossas dicas sobre o que fazer em Singapura. Segue o resumo de um roteiro de três dias, para ficar mais fácil de entender:

Dia 1: Marina Bay (Gardens by the Bay, Marina Bay Sands Hotel e outros prédios citados)
Dia 2: Bairros étnicos
Dia 3: Jardim Botânico

Se tiver mais um dia no país: visite com mais calma os bairros étnicos ou perca o dia todo no Gardens by the Bay.

Se tiver mais dois dias no país: Visite Sentosa, a famosa praia que fica a mais ou menos uma hora do centro da cidade.

Dica: A ordem dos dias não faz diferença alguma. Escolha o dia mais ensolarado para visitar o Marina Bay e o dia mais chuvoso ou fechado (se houver) para visitar os bairros étnicos, já que a maioria das atrações destes locais é indoor.  Para o Jardim Botânico, claro que é ótimo ir num dia de sol mas, se não for possível, a visita vale do mesmo jeito, mesmo com tempo feio (com exceção para chuva já que o local não é recomendado por ser um campo aberto).

Nossos gastos pessoais:

Nosso budget diário para Singapura era de 57,80 SGD (aproximadamente 40 dólares americanos). Como economizamos com hospedagem fazendo pet sitting, dificilmente ultrapassamos este limite-controle.

Alimentação: Já que a casa dos nossos queridos hosts era super equipada, cozinhamos diversas vezes, principalmente café da manhã e janta e isso ajudou BASTANTE em nossas economias. Os valores no supermercado para itens básicos como macarrão, molho, cereais, pão de forma, leite e carne são ok, mais ou menos iguais aos do Brasil (caros, mas aceitáveis). Nosso gasto médio no mercado era de 40 SGD, incluindo uma garrafa de vinho no valor e esta compra dava para, pelo menos, umas 6 refeições. Para comer na rua, recomendamos que procure os Hawker Centres espalhados pela cidade. Nestes lugares, você consegue encontrar comidas típicas com valores muito mais acessíveis do que nos restaurantes. Exemplo básico: fomos em uma creperia muito boa e gastamos 40 SGD em dois crepes e uma cerveja. Em nossa visita ao bairro árabe, como contamos, comemos duas refeições diferentes em dois restaurantes e a soma de tudo, com bebidas não alcoólicas incluídas, deu 15 SGD e nos sentimos muito mais alimentados 😛 É uma diferença grande, não é?

Outra vantagem é o transporte público do país que é super abrangente e justo. Você paga a tarifa dependendo da distância que vai percorrer e quase sempre tem um ônibus disponível para o seu destino final, ou o sistema de metrô. Os horários são seguidos a risca então não se atrase, ou ficará esperando no ponto 😛 (piada péssima, sorry). Táxi é caro já que você paga uma taxa assim que começa a corrida mas o Uber está disponível e é bem mais barato. Nós andamos bastante também já que o clima estava super agradável em Dezembro. Nosso gasto com transporte local foi de aproximadamente 52 SGD em 14 dias de estadia.

Como lidamos com o câmbio:

Inicialmente trocamos dólares americanos que tínhamos por SGD mas depois percebemos que não valia tanto a pena quanto trocar os dólares em outros países da Ásia que pretendemos visitar. Por isso, fizemos um saque diretamente da nossa conta do Brasil. A conversão foi super ok mas ficamos um pouco assustados com a taxa de saque. Uma solução que encontramos foi fazer compras grandes no mercado e pagar no cartão de crédito. As taxas foram ok se comparadas com o saque então valeu mais a pena.

Booking.com

Onde ficar em Singapura

Singapura é muita conhecida pelos seus edifícios bonitos, de uma arquitetura única e futurística que enfeitam a paisagem da cidade-estado. Um dos ícones mais conhecidos é o Marina Bay Sands, o famoso hotel que fica entre o Gardens by the bay e a Marina Bay, e possui uma forma parecida com um barco. Além disso, possui também uma piscina infinita linda no terraço. Ok, parece um hotel fantástico mesmo, mas e se você não quiser ficar por ali ou o orçamento não permitir? Nós separamos alguns hotéis, hostels e regiões para te ajudar a decidir onde ficar em Singapura:

Região central

Rafes SingaporeGrand Park City Hall e Peninsula Excelsior Hotel.

  • Outras opções podem ser encontradas aqui.

Marina Bay

Marina Bay SandsThe Fullerton Bay Hotel e o Ascott Raffles Place

Kampong Glam (Arab Quarter)

Heritage @ Clarke QuayOrchard Grand Court e o Superb Hostel

Clarke Quay

Park Hotel Clarke QuayVillage Residence Clarke QuayBed and Dreams Inn

  • Aqui você pode achar outras opções

Chinatown

Bliss Hotel SingaporeThe Scarlet SingaporeChic Capsule e os hostels The Bohemian Chic e Wink Hostel

  • Mais opções baratas podem ser encontradas aqui

Little India

WanderlustThe Daulat e os hostels Clifden Hostel e The InnCrowd Backpackers

Outras regiões para se hospedar em Singapura

Como você pode ver, hospedagem em Singapura é um pouco mais cara que o normal. Se você, como nós, precisa economizar, veja como trocar trabalho por hospedagem neste post sobre o Wordpackers.

Gostou das dicas? E como foi a sua experiência visitando Singapura? Conta pra gente aqui nos comentários! Se quiser ver mais fotos ou vídeos sobre Singapura e outros países da Ásia, siga as nossas redes sociais: Instagram, Facebook e YouTube.

Fontes de pesquisa:

Como estávamos hospedados na casa da Clarissa, do blog “A culpa é do fuso” segui religiosamente as dicas dela do post “Mini guias para grandes dias em Singapura”. Para complementar, ainda pesquisei no site de turismo oficial do país, na Time out, nos meus queridos do 360 meridianos e adorei as dicas do Prefiro viajar. Outro site que me ajudou bastante nas pesquisas de lugares menos tradicionais foi o Atlas Obscura.

Não deixe de procurar no Google “Hidden places in Singapore” ou “Hidden gems in Singapore”, é muito divertido ver os bares super alternativos que a cidade tem.

Veja também:

Salvar

Victória Farina
Victória Farina
Nascida em São Paulo, estudou Lazer e Turismo (USP) e tem no DNA a palavra viagem. É muito organizada, mas se perde totalmente quando o assunto é mapa ou localização. Ama dar dicas de viagens e contar as experiências que já viveu. Já visitou mais de 30 países e, agora, está viajando pelo Sudeste Asiático, num mochilão que já dura um ano.
http://www.naproadavida.com/

17 thoughts on “O que fazer em Singapura: roteiro pela cidade-estado

  1. Super dicas agregadas nesse post. Conheço Singapura apenas pelo GP de Fórmula 1 e acho os prédios iluminados de muito bom gosto. Massa saber de toda a diversidade cultural que há por lá.

  2. Grandiosa mesmo essa cidade. Ainda tenho muita vontade de conhecer, acabo adiando por aparecer outras na lista. Esse post é tão completo que vou deixar aqui nos Favoritos, vai que decido ir pra lá e não encontro mais… 🙂

  3. Morro de vontade de conhecer esse lugar e a evolução constante pela qual ele passa. Suer dicas nesse texto, adorei e vou usar muita coisa com certeza! um abraço

  4. Adorei o post, adorei todas as sugestões e o resumo no final, ficou muito bom! Mas o que mais curti foram as fotos divertidas, parabéns! 🙂

    Claudia
    @as_passeadeiras

  5. Gostei muito deste post, está muito bem explicado. Gostava de conhecer Singapura e levar o meu filho, pois já ouvi falar que é muito family friendly! Adorei as fotos. Abraço desde Braga.

Leave a Reply

Top
Close