Viagem pela Suíça: nosso roteiro com dicas e gastos

Home » Suíça » Viagem pela Suíça: nosso roteiro com dicas e gastos

Atualizado em Feb 22, 2021

Por: Victória

Atualizado em Feb 22, 2021

Por: Victória

Sempre tivemos vontade de conhecer a Suíça mas, por ser um destino caro em relação a outros países da Europa, nunca achamos que iríamos visitar o país tão cedo. Em Outubro de 2018, no finalzinho de nossa viagem de um ano e meio pelo Sudeste Asiático e seis meses pela Europa, demos uma passadinha na Suíça para visitar minhas primas que moram lá.

Eu realmente não esperava que a visita fosse tão produtiva porque estávamos indo realmente para visitá-los mas, UAL, que país! É por isso que vou resumir aqui sobre a nossa viagem de uma semana pelo sul da Suíça com os lugares que visitamos, dicas, valores e os pontos que ficaram na lista para a nossa próxima visita que, com certeza, vai ser muito mais longa e cheia de novas aventuras com paisagens maravilhosas.

Bandeira da Suíça que tiramos foto na nossa viagem pela Suíça

Bandeira da Suíça. Foto de: Bruno/@naproadavida

Nossa viagem pela Suíça

Dia 1 – Descansando da longa viagem e passeio de bicicleta pelo Lago Genebra

Acordar tarde, curtir minha família e descansar das longas 17 horas de ônibus que demoramos desde Bruxelas, na Bélgica, para chegar em Lausanne, na Suíça, foi essencial para a continuação da viagem. Confesso que foi super difícil sair da casa da minha prima, já que meus priminhos gêmeos que eu tinha acabado de conhecer são as coisinhas mais lindas do mundo.

Tomamos coragem, nos despedimos com um aperto no coração, pegamos as bicicletas que a minha prima emprestou e saímos em busca das plaquinhas do trajeto número 1. Ficamos impressionados com a organização do país que criou plaquinhas por todo o seu território e disponibiliza através de um aplicativo, os detalhes de cada trajeto, com nível de dificuldade, tempo de duração e outras informações úteis.

O aplicativo se chama Switzerland Mobility e lá você escolhe se quer visitar o local de bicicleta, a pé, de mountain bike e diversos outros meios de transporte. Você também pode escolher por região para saber quais as atrações mais perto do seu hotel, por exemplo. Mesmo o aplicativo sendo um pouco confuso eu acho que super ajuda os turistas, principalmente para quem não tem uma prima que mora lá para fazer todas as mil perguntas, como nós tivemos.

Não viaje para a Europa sem seguro viagem! Na Europa o seguro é de extrema importância e na maioria dos países, os viajantes são obrigados a ter um seguro viagem para o período que passará no continente. Durante a nossa viagem, nós usamos a World Nomads e o suporte foi sensacional e em português sempre que precisamos.

Outro grande parceiro brasileiro é a Seguros Promo, que oferece 5% de desconto para os viajantes leitores do blog que usarem o código NAPROADAVIDA5.
Assista aos vídeos desta playlist para ajudar na hora de fechar o seguro e garantir o desconto.
Saúde durante a viagem não é brincadeira, não arrisque viajar sem seguro. 😉

Nossa viagem pela Suíça

Dia 1 – Descansando da longa viagem e passeio de bicicleta pelo Lago Genebra (continuação)

Iniciamos o trajeto perto da casa da minha prima, em Eclubens e seguimos as placas até Morges. Confesso que teve uma parte do trajeto que não achamos placa nenhuma e simplesmente seguimos pelo lago mas, de maneira geral, as placas ajudaram bastante.

Como visitamos a Suíça no final de Outubro, meio do Outono, as folhas das árvores estavam com as cores mais maravilhosas do mundo e o cenário não podia estar mais pitoresco. Nos apaixonamos e passamos mais tempo nas florestas do que no lago em si já que, como saímos da casa da minha prima umas 15:00, o sol já estava um pouco baixo, com neblina e o lago não estava na sua maior beleza.

Mesmo assim, andar de bike por aquela paisagem absurda foi incrível. Para quem não sabe, o lago se chama Lac Léman, mas é mais conhecido também como Lago Genebra. Ele é o maior lago da Europa Ocidental e tem suas margens na França e na Suíça.

Veja acomodações perto do Lago Genebra!

Victória andando de bicicleta nos arredores do Lac Lemán.

Victória andando de bicicleta nos arredores do Lac Lemán. Foto de: Bruno/@naproadavida

Nossa viagem pela Suíça

Dia 1 – Descansando da longa viagem e passeio de bicicleta pelo Lago Genebra (continuação)

Um dos melhores momentos do dia, como sempre, foi o pôr do sol. Estávamos voltando para casa, andando de bicicleta super sossegados e eu, não sei por que, olhei para trás. UAL. Não consegui acreditar no que eu estava perdendo.

Mostrei pro Bruno e a gente simplesmente parou para admirar a minha hora preferida do dia. O parque chamado Parc de Vertou, em frente ao hotel Le Fleur du Lac, foi palco para uma das visões mais lindas do dia.

Dica: levamos alguns lanchinhos para o meio do caminho já que a oferta de comércio nos arredores é bem escassa e também, claro, porque seria um pouco caro para nosso budget. Faça o mesmo, pare de tempos em tempos e tome um iogurte, coma um sanduíche, belisque um chocolate e, claro, não esqueça de levar uma garrafa de água por pessoa para essa aventura.

Pesquise as opções de acomodação em Lausanne, na Suíça, aqui.

Nossa viagem pela Suíça

Dia 2 – Visitando Montreux, caminhando em Rochers de Naye e visita ao Castelo de Chillon à noite

No segundo dia de nossa estadia na Suíça acordamos cedo, pegamos o carro da minha prima e partimos para Montreux. A estrada de Ecubens para lá foi bem tranquila e a nossa maior dificuldade foi achar um lugar para estacionar. Em nossa procura, conseguimos conhecer um pouco de suas ruelinhas e casas super fofas.
Quando achamos a vaga para estacionar (numa vaga que, depois, percebemos que era privada e nos gerou uma mini confusão), partimos para dar uma olhadinha no lago e ao supermercado para fazer as nossas compras do dia.
Com nossos lanchinhos em mãos partimos para a base da montanha Rochers de Naye. Foram muitas curvas e paisagens incríveis até chegarmos no estacionamento que é o último ponto que um carro normal pode subir na alta montanha de Naye.
Victória andando nas lindas montanhas de Rochers de Naye, na nossa viagem pela Suíça.

Victória andando nas lindas montanhas de Rochers de Naye, Suíça. Foto: Bruno/@naproadavida

Para chegar até o topo da montanha você pode ir de trem (CHF 53 por adulto ida e volta) ou a pé. Adivinha qual das opções escolhemos. haha A subida de 4.6 km demorou cerca de 3 horas. A caminhada é intensa e bastante íngreme mas a cada passo que dávamos um suspiro vinha junto com a beleza incrivelmente maravilhosa da paisagem.
O Bruno chegou até o topo da montanha, mas eu parei no meio, com dor no pé e cansada para continuar na longa e difícil caminhada que faltava. Parei em frente a uma casa abandonada, curti a vista e até tirei um cochilo. Amei o passeio do mesmo jeito ou até mais que ele. 🙂

Nossa viagem pela Suíça

Dia 2 – Visitando Montreux, caminhando em Rochers de Naye e visita ao Castelo de Chillon à noite (continuação)

Na volta, descemos um pouco rápido já que o sol já estava se pondo mas a paisagem ficou ainda mais mágica com os raios de sol vermelhos e era difícil não parar para tirar fotos (mesmo com todas as nossas câmeras com menos de 10% de bateria depois de um dia intenso de atividades).
No caminho, percebemos que existem diversas acomodações na montanha e até vimos pessoas em uma banheira ao ar livre em plena escuridão. Ficamos super imaginando fazer o mesmo em nossa próxima viagem para a Suíça.
Depois daquele dia intenso de aventuras chegamos no estacionamento (que é gratuito) e já era noite. Fizemos o mesmo caminho de volta para a casa da minha prima mas, como estávamos com fome, paramos no castelo de Chillon para fazer o último lanchinho.
Foi maravilhoso andar pelos arredores do castelo a noite com a lua quase cheia e as luzinhas fofas que o castelo tem. Só faltou uma garrafa de vinho que, infelizmente, o Bruno não me deixou comprar por estar dirigindo. 😛

Veja as melhores acomodações em Montreux ou hospede-se em um hotel na montanha Rochers de Naye (que sonho!)

Apaixonante vista do Castelo de Chillon à noite.

Apaixonante vista do Castelo de Chillon à noite. Foto: Bruno/@naproadavida

Nossa viagem pela Suíça

Dia 3 – Passeando por Gruyéres e Charmey (melhor dia da nossa viagem pela Suíça)

Depois de ter caminhado tanto no dia anterior estávamos buscando algo mais relaxado para fazer. Minha prima, sabendo da minha paixão por castelos, sugeriu então que dirigíssemos até o castelo de Gruyères e visitássemos a região.

Nossa primeira parada do dia deveria ser o castelo de Gruyères mas, como nos perdemos, fomos parar numa estrada incrivelmente maravilhosa que sentimos a obrigação de parar e observar. Olha a foto da estrada para você entender o que estamos falando:

Estrada perto do Castelo de Gruyéres.

Estrada perto do Castelo de Gruyéres. Foto: Bruno/@naproadavida

Nossa viagem pela Suíça

Dia 3 – Passeando por Gruyéres e Charmey (continuação)

Depois de subir o drone, andar pela estrada, entrar no meio da floresta e fazer mil fotos diferentes, nós pegamos o carro novamente e chegamos no castelo de Gruyères.

Para quem vem de carro, tem um estacionamento antes de subir para o castelo que é gratuito se você tem o disquinho de estacionar e, obviamente, tem o estacionamento bem em frente ao castelo que, é pago (CHF 5 por dia). Nós estacionamos o carro no gratuito e andamos por menos de 10 minutos para chegar no meio do castelo que, na verdade, é uma minicidade medieval super fofa.

Andamos sem rumo e vimos o Museu HR Giger (que exibe trabalhos do famoso artista), alguns restaurantes, lojas de souvenir, uma mini fábrica de chocolate (Chocolaterie de Gruyères Sàrl) e o HR Giger bar que é um espetáculo a parte. Só passando e/ou entrando no bar para entender o grau de criatividade da sua decoração.

Castelo de Gruyére, na Suíça.

Castelo de Gruyére, na Suíça. Foto: Bruno/@naproadavida

Lá dentro também tem o Tibet Museum, uma igreja católica e alguns hotéis muito bonitos. Para entrar no castelo paga-se CHF 12 mas, como estávamos de passagem, nos contentamos com a vista dos arredores.

Quando estávamos indo embora, ainda experimentamos o maravilhoso gaufre, uma sobremesa deliciosa (cerca de CHF 5 cada). Escolhemos o de chocolate ao leite (tem de Nutella também mas achamos muito normal) e, ual, que delícia. Não deixe de provar. A fábrica de chocolates (que se chama Chocolaterie de Gruyères Sàrl) é bem pequenininha e isso a torna mais especial.

Fiquei com vontade de experimentar um dos pirulitos de chocolate que vi uma criancinha comendo, mas me contive porque era chocolate demais. Se você comprar, me conte depois se é gostoso. Haha

Veja acomodações na maravilhosa área de Gruyeres e escolha a que mais encaixa no seu bolso e necessidade. A minha vontade era de me hospedar dentro daquela cidadezinha medieval no período que neva e andar pelo meu novo “quintal” só apreciando a paisagem em volta. Sonho? Um dia vai se tornar realidade, ta? haha)

Nossa viagem pela Suíça

Dia 3 – Passeando por Gruyéres e Charmey (continuação)

Adoramos ter visitado os arredores do castelo já que a paisagem em volta é incrivelmente apaixonante e, foi com um desejo de quero mais que continuamos caminho para a região de Charmey. Que cidadezinha mais fofa que é Charmey.

Andamos de carro por suas ruelinhas e nos sentimos no cenário de um filme, de verdade. Mas, depois de dirigir um pouco pela cidade, chegamos na parte do Lac de Montsalvens e ficamos boquiabertos com a beleza. Obriguei o Bruno a parar o carro e apreciar a natureza comigo.

A gente não conseguia dizer nenhuma outra palavra que não fosse: UAL!!! Que lugar lindo. Parar no meio da estrada e admirar o cenário deste lago é uma das minhas lembranças mais marcantes da nossa viagem pela Suíça. A gente não se contentou com a visão que tínhamos da estrada e subimos mais alto para ver o lago de outro ângulo e, novamente, UAL. O lago conseguiu ficar ainda mais bonito.

Depois de visitar Charmey a única coisa que penso é acordar em um hotel bem de frente àquele lago maravilhoso e só ficar olhando pela janela a paisagem incrivelmente maravilhosa.

Nossa viagem pela Suíça

Dia 3 – Passeando por Gruyéres e Charmey (continuação)

O sol estava quase se pondo e tivemos que partir para a nossa penúltima parada do dia: o Lac de La Gruyére. Confesso que, depois da vista maravilhosa de Charmey, o lago não nos impressionou, mas ainda queremos voltar num dia de sol para mudar de opinião a respeito desse lago que parece ser tão apaixonante.

Um ponto a se notar são as casas ao redor do lago que tem uma arquitetura bastante particular, linda e interessante. Nos sentimos de verdade num cenário de filme com aquelas casas de madeira super enfeitadas e bonitinhas, adorei. Neste trajeto ainda tivemos diversas situações engraçadas. Foi um final de tarde realmente muito gostoso andar por essa região, mesmo com a neblina que cobria a paisagem dos lagos.

Mas, o dia não acabou por aí! No caminho de volta para Lausanne ainda paramos para ver o pôr do sol do Lavaux Vinorama, um patrimônio mundial da UNESCO. Lá existem diversas fazendas de uva que são usadas para produzir um vinho super especial e a paisagem das fazendas é algo de outro mundo de tão lindo. Escolhemos um cantinho super especial e estratégico para assistir o sol baixando até não se ver mais no horizonte. Que dia maravilhoso!

Pôr do sol maravilhoso em Lavaux Vinorama, em nossa viagem pela Suíça.

Pôr do sol maravilhoso em Lavaux Vinorama, Suíça. Foto: Bruno/@naproadavida

Nossa viagem pela Suíça

Dia 4 – Um sábado em família com comida típica e final de tarde no Lac Lèman

Depois de uma semana super agitada explorando a Suíça minha prima sugeriu a programação perfeita: almoçar tarde e ficar em casa curtindo o sol e os nenês. Não teve coisa melhor do que deitar na grama e ficar brincando com os nenês no sol, conversar com a minha família e simplesmente descansar.

Ah, não posso esquecer que também experimentamos uma comida típica da Suíça/França: a raclette (que é um queijo especial que derretemos e colocamos em cima da batata cozida, que delícia!). Depois de comer BASTANTE raclette, beber BASTANTE vinho e falar BASTANTE uma mistura de português, inglês e francês (o namorado da minha outra prima é da Suíça), nós ainda tivemos coragem de sair de casa e ir passar o final de tarde no Lac Lèman.

Lá, nós tomamos sorvete, observamos a paisagem e conversamos mais ainda até o sol se pôr. Quer dia mais gostoso que isso para quem está viajando há dois anos sem nenhum contato de família há tanto tempo?

Quando andamos pelo Lac Lèman vimos cada casinha linda que ficamos apaixonados. Saiba onde se hospedar na região aqui!

Lac Leman em nossa viagem pela Suíça

Nós, apaixonados no Lac Lemán! <3

Dia 5 – Um domingo relaxado almoçando e caminhando no Lac de Joux

Depois de um dia anterior preguiçoso descansando, decidimos acordar cedo, tomar café da manhã bem levinho e ir fazer um brunch na beira do Lac de Joux. A idéia principal da minha prima era que experimentássemos o tão famoso peixe que é pescado no lago e cozinhado em um restaurante típico da região (chamado Restaurant du Lac).

Mas, como não reservamos mesa com uma semana de antecedência (coisas da Suíça haha), não tinha lugar para nós. Andamos um pouco mais e paramos em um mini restaurante que vende crepes tradicionais. Foi um almoço leve e gostoso. Eu comi o crepe com queijo de cabra, mel e nozes, o Bruno comeu de queijo com presunto, bem clássico. Eu preferi o crepe do Bruno que estava mais saboroso e com mais recheio.

O crepe deste restaurante é especial porque é feito com uma farinha chamada Sarrasin que é tradicional daquela parte da Suíça. Bebemos uma sidra bem gostosa (a marca é Ramseier e o sabor era de maçã) e que super combinou com o clima de domingo de sol na beira do lago e, as companhias, também super ajudaram com que o momento fosse mais que especial.

Depois do almoço e de fazer os nenês dormirem, saímos para andar em volta do lago e conversar. Foi super gostoso ir devagarzinho conversando e admirando a vista que é super maravilhosa. Depois de mais ou menos uma hora andando, paramos num espaço aberto com grama, abrimos a toalha e descansamos um pouquinho. Os nenês já estavam com fome de novo então demos uma comidinha para eles e curtimos um pouco mais da fofura deles.

Foi um domingo bem relaxado e gostoso que conseguimos aproveitar para ficar com os nenês, com a minha prima e ainda por cima conhecer um lago bem bonito da Suíça.

Veja as opções de hospedagem perto do Lac de Joux aqui!

Lac de Joux, na Suíça.

Lac de Joux, na Suíça. Foto: Bruno/@naproadavida

Nossa viagem pela Suíça

Dia 6 – Visitando o Lavaux Vinorama, o Chateau d’Ouchy e a cidade de Lausanne

Lembra do dia que vimos o pôr do sol no Lavaux Vinorama? Então, foi tão lindo, que decidimos visitar a região durante o dia. Fizemos uma ótima escolha e “nos perdemos” no meio das plantações até que achamos um lugar maravilhoso para parar o carro, curtir a vista e subir o drone.

Foi uma manhã super gostosa. Antes de partir para o nosso próximo destino ainda paramos no espaço de vinhos do Lavaux Panorama e nos impressionamos com a quantidade e valor das garrafas de vinho que estavam expostas lá.

Vimos garrafas de vinho com qualidade por apenas 13 euros e ficamos com muita vontade de comprar uma para levar para casa mas, como a nossa mochila estava super cheia, deixamos para a nossa próxima viagem para a Suíça.

Lavaux Vinorama durante o dia.

Lavaux Vinorama durante o dia. Foto: Bruno/@naproadavida

Dia 6 – Visitando o Lavaux Vinorama, o Chateau d’Ouchy e a cidade de Lausanne (continuação)

Depois disso, partimos para os arredores do castelo de Ouchy, onde comemos um lanchinho em um dos espaços do promeade, descansamos aproveitando a vista linda do lago e do castelo. Não se pode entrar no castelo se não for estiver hospedado no hotel, mas a vista de fora já foi o bastante para nós.

Depois de seis dias “morando” pertinho de Lausanne não podíamos sair da Suíça sem visitar a famosa cidadezinha. Esta foi a nossa última parada do dia. Subimos no maravilhoso mirante chamado Tour de Sauvabelin (entrada gratuita) e, depois disso, visitamos a floresta de mesmo nome, descemos até o Museu Hermitage e andamos até a cidade. Lá as ruas são bem estreitas e bonitinhas.

Não deixe de ir na Cathédrale Notre-Dame de Lausanne e ver o panorama da cidade, de lá desça pela escadaria chamada Escaliers du Marché até chegar nas ruas principais onde você encontrará todas as lojas internacionais possíveis (H&M, Zara, entre MUITAS outras).

A incrível Pont Charles-Bessiéres, em Lausanne que visitamos em nossa viagem pela Suíça

A incrível Pont Charles-Bessiéres, em Lausanne (Suíça). Foto: Bruno/@naproadavida

Se você, como nós, não está interessado em compras, siga pela Rue du Pont e veja o palácio do governo (Hôtel de Ville) até chegar na linda Église Saint-François. Chegamos lá no exato momento que os sinos estavam tocando e foi demais. Na volta ainda passamos pela fofa Ruelle de Bourg até avistar a exuberante Pont Charles-Bessiéres.

Note que a ponte possui duas vias: a superior para carros e a inferior para o metrô. Que obra maravilhosa e super fotogênica (principalmente para nós que a visitamos com os raios dourados do pôr do sol). Depois disso, subimos toda a ladeira para pegar o carro que estava estacionado perto do Tour de Sauvabelin e voltamos para a casa da minha prima, para a nossa última janta antes de partir para a nossa próxima aventura: na maravilhosa cidade de Paris.

Resumo da nossa viagem pela Suíça:

  • Dia 1: Passeio de bicicleta no Lac Léman (cerca de 4 horas)
  • Dia 2: Visita a Montreux (1 hora), caminhada na montanha Rochers de Naye (cerca de 5 horas) e lanche da tarde/começo de jantar improvisado no castelo Chillon (1 hora)
  • Dia 3: Passeando pelo castelo de Gruyéres (2 horas), região de Charmey (2 horas), Lac de Gruyéres (1 hora) e Laxaux Panorama (1h30)
  • Dia 4: Final de tarde no Lac Léman (2 horas)
  • Dia 5: Almoço e caminhada no Lac de Joux (6 horas)
  • Dia 6: Lavaux Vinorama (2h), Castelo de Ouchy (1h) e visitando a cidade de Lausanne (3 horas)

Babe na beleza dos hotéis próximos ao Lavaux Vinorama, hospede-se dentro do Castelo de Ouchy ou escolha uma acomodação no centro da cidade de Lausanne.

Visitando o Lac de Joux com família e amigos!

Visitando o Lac de Joux com família e amigos!

Alguns dos lugares que queremos conhecer na Suíça em nossa próxima visita

  • Lago Blausee
  • Lago Oeschinen
  • Cânion Aareschlucht
  • Grindelwald no inverno
  • Émosson
  • Jungfraujoch
  • Eggishorn
  • Zurique
  • Lucerna
  • Geneva
  • Trilha dos 5 lagos em Pizol
  • E MUITOS outros lugares!

Principais gastos em nossa viagem pela Suíça

Como não pagamos hospedagem que, com certeza, é um dos maiores gastos que se tem em uma viagem pela Suíça, nossos gastos principais foram com combustível (em seis dias gastamos cerca de CHF 60) e alimentação (cerca de CHF 15 por dia que era a nossa compra de mercado).

Minha prima cozinhava o jantar e, por isso, só nos preocupamos com o café da tarde e almoço, o que nos ajudou BASTANTE na economia. Outro ponto a ser considerado é que não gastamos com o aluguel de carro ou bicicleta já que a minha prima nos emprestou e isso facilitou bastante nosso deslocamento e, novamente, reduziu os gastos.

  • Nosso gasto diário médio para duas pessoas foi de 22 euros.

Como sabemos que não é todo mundo que tem a sorte que tivemos de ter família justo na Suíça, um dos países mais caros do mundo, vamos dar algumas dicas úteis para economizar na sua viagem a Suíça, não deixando de aproveitar esse país tão maravilhoso.

Dicas úteis para economizar na sua viagem pela Suíça

  • O supermercado foi a nossa maior salvação em toda a nossa viagem pela Europa. Sempre passávamos e comprávamos ingredientes para fazer sanduíche, bebidas e biscoitos para nos ajudar com as economias e matar nossa fome durante o dia. Na Suíça, por exemplo, gastávamos cerca de CHF 15 por dia para comprar pães, queijo, suco, iogurte e até chocolate que ficava muito mais em conta do que qualquer café da manhã ou almoço em restaurantes do país. Na Suíça foi um dos países que mais vimos pessoas praticando a mesma ação e comendo sanduíches caseiros nos lagos e caminhadas que fizemos.
  • Na Europa em geral sempre procure as ofertas do dia expostas nos cartazes em frente aos restaurantes. Nestes avisos você consegue ter uma ideia dos valores do restaurante e, uma vantagem, é que geralmente os pratos são comidas rotineiras para os locais mas, para você, pode ser uma surpresa boa e um prato típico que nem imaginaria experimentar.
Lac Lèman visto de cima.

Lac Lèman visto de cima. Foto: Bruno/@naproadavida

Dicas úteis para economizar na sua viagem pela Suíça (continuação)

  • Uma coisa um pouco óbvia mas que as pessoas as vezes esquecem é: não coma próximo aos lugares turísticos. Os restaurantes tendem a ser mais caros por serem bem localizados, então escolha bem onde irá comer já que a comida pode ser, além de mais cara, também de qualidade inferior e vir em menor quantidade/tamanho.
  • Dica extra: não deixe de provar a comida local por ser mais cara. Busque opções de restaurantes baratos ou, se for possível, tente cozinhar em sua acomodação. Deixe separado uma quantia de dinheiro somente para experimentar comidas típicas e economize em algumas refeições para gastar em outras e fazer com que o orçamento da sua viagem não se modifique. Uma sugestão, principalmente para doces típicos, é procurar nas padarias dos supermercados já que, geralmente, lá os valores são inferiores aos das docerias. Faça este esforço e eu tenho certeza que não vai se arrepender.
  • Escolha trilhas que você não precise pagar por um trem ou teleférico para chegar até o topo. Uma das razões que escolhemos caminhar na montanha Rochers de Naye foi porque era uma caminhada “fácil” e também porque não teríamos que pagar nenhuma entrada ou transporte para chegar no topo. Nós simplesmente paramos o carro no estacionamento público e subimos caminhando. Nesta mesma montanha, se você não quiser subir andando, você pode pagar um trem que custa cerca de CHF 53 por pessoa.
Bandeira da Suíça que tiramos foto na nossa viagem pela Suíça

Bandeira da Suíça. Foto: Bruno/@naproadavida

Dicas úteis para economizar na sua viagem pela Suíça (continuação)

  • Pesquise detalhes sobre as atrações que quer visitar. Por exemplo: nós caminhamos pelo castelo de Gruyéres mas não pagamos a taxa de entrada na torre (que custa CHF 12), já que nos contentamos em observar o castelo de longe e não nos interessamos em ver os aposentos que são parte da exposição paga. Antes de pagar por uma atração veja se você realmente se interessa antes de “sair pagando” e perder seu tempo e dinheiro.
  • Alugue uma bicicleta através do site PubliBike. É um pouco mais complicado porque você tem que fazer um cartão mas, assim, você pagará muito mais barato do que as bicicletas disponíveis na rua (que chegam a custar cerca de CHF 15 por hora).
  • Alugue um carro já que as viagens de trem na Suíça são extremamente caras e o transporte público de ônibus é praticamente inexistente. O carro alugado, além de te levar de uma cidade a outra, também te ajuda a se locomover na cidade, se necessário.
  • Antes de alugar o carro pergunte para a locadora quais as permissões de estacionamento do carro. A Suíça é bem rígida com vagas de estacionamento e, por isso, não entre em furadas estacionando em lugares proibidos. Peça o disco de estacionamento e pare somente nos locais com as placas corretas já que, assim, você não terá que pagar nada por até seis horas.
  • Sabemos que a hospedagem na Suíça é uma das maiores preocupações então, já que é para gastar, gaste da melhor maneira. Escolha hotéis perto de um dos lagos que deseja visitar ou de uma cidade que seja bem localizada em relação às atrações que quer conhecer. Assim, você além de gastar menos tempo se deslocando, também gasta menos com combustível ou o meio de transporte que tiver escolhido utilizar na Suíça.
  • Se já estiver viajando pela Europa, para chegar na Suíça, pesquise não só vôos e trens mas também ônibus. A Flixbus é uma companhia de transporte rodoviário bastante confiável e tem preços super ótimos. Pesquise todas as opções de transporte disponíveis através do RomeToRio, esse site nos ajudou DEMAIS em nossa viagem pela Europa e Ásia.

Gostou das dicas? E como foi a sua experiência visitando a Suíça? Conta pra gente aqui nos comentários! Se quiser ver mais fotos ou vídeos sobre a Suíça e outros países da Europa ou Ásia, siga as nossas redes sociais: Instagram, Facebook, Pinterest e YouTube.

Que tal compartilhar?

Indo para a Tailândia?

Conheça os melhores passeios para a sua viagem. Guias, fotógrafos e atendimento em português.

Somos Bruno & Vic, dois viajantes que se conheceram e se apaixonaram trabalhando a bordo de um navio de cruzeiros. Em 2016, saímos em uma viagem ao mundo e, desde então, levamos a nossa vida na estrada. Entre caronas, voluntariados e trabalhos online compartilhamos nossas inúmeras experiências e pouco dessa vida nômade aqui no Blog Na Proa da Vida, veja mais

Planeje sua viagem

seguro viagem

hotéis

chip de internet

trabalho voluntário

passeios & ingressos

transporte pela ásia

Veja mais sobre o mesmo assunto:

Nota: este post pode conter links de parceiros do blog Na Proa da Vida. Isso significa que ao comprar um de seus produtos você estará ajudando na manutenção do nosso blog e do conteúdo de qualidade produzido para você. Não se preocupe, você não paga nadica de nada a mais por isso e ainda nos motiva a conseguir descontos exclusivos, em diversos serviços, para os leitores do Na Proa da Vida. Saiba mais.

Publicado em: Atualizado em Feb 22, 2021
<a href="https://www.naproadavida.com/" target="_blank">Victória</a>
Victória
Nascida em São Paulo, estudou Lazer e Turismo (USP) e tem no DNA a palavra viagem. Ama dar dicas de viagens e contar as experiências que já viveu. Já visitou mais de 45 países e não pretende parar tão cedo.

Pode ser interessante para a sua viagem

E aí, que tal deixar um comentário? ?

2 Comentários

  1. Debora

    Como sempre o post foi bem convidativo, dando aquele gostinho especial…

    Responder

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *