Golpe do câmbio em Bali, na Indonésia: como evitar este e outros golpes

Home » Indonésia » Golpe do câmbio em Bali, na Indonésia: como evitar este e outros golpes
Atualizado em 4/08/2021
Por: Bruno

Atualizado em 4/08/2021
Por: Bruno

Bali é uma das ilhas que mais gostamos de visitar em nossos quase dois meses de viagem pela Indonésia, mesmo não sendo a nossa favorita, ela tem seu charme e um toque especial. Além disso tudo, ela também é cheia de golpes aplicados pelos locais e, portanto, se você vai trocar dinheiro na ilha mais famosa da Indonésia, fique ligado para não cair no (ainda não muito) famoso golpe do câmbio em Bali, que é um dos golpes mais aplicados na ilha.

Notas e moedas da Indonésia, a Rúpia. Foto: Bruno/@naproadavida - câmbio em bali

Notas e moedas da Indonésia, a Rúpia. Foto: Bruno/@naproadavida

Pensando em contratar um passeio ou guia para a sua visita à Indonésia? ✈️??

Entre em contato! Podemos indicar uma empresa indonésia com atendimento e suporte em português que te ajudará com informações sobre passeios, traslado e muito mais. É só enviar mensagem no WhatsApp ou no Instagram. Para os passeios com guia em português é necessário verificar a disponibilidade de datas.

Como lidamos com o dinheiro na Indonésia

Nós estávamos viajando há dois meses pela Indonésia e Bali foi uma das ilhas que mais gostamos e também uma das que mais gastamos dinheiro.

Nas primeiras semanas e ilhas nós fizemos saques de um cartão internacional que possuíamos para esse primeiro ano de viagem, primeiro porque em Sumatra era quase impossível achar uma casa de câmbio ou alguém pra trocar dinheiro e depois que acabava sendo mais fácil realizar saques do que andar com muita grana pra lá e pra cá (sim, na Indonésia os bolos de dinheiro existem).

O único problema é que os saques na Indonésia possuem um limite diário e tudo vai depender do tipo de caixa eletrônico que você encontrar.

Normalmente, os caixas eletrônicos que possuem notas de 50 mil rúpias somente liberam o limite de 1.2500.000,00 (um milhão duzentos e cinquenta mil rúpias) e os caixas com notas de 100 mil rúpias permitem o saque de até 3 milhões de rúpias, por saque.

O máximo permitido de saque em um dia é de 6 milhões de rúpias, contando que a cada saque é cobrada uma taxa de uso do caixa eletrônico, a taxa de conversão e a taxa de saque do seu banco. Mesmo com as taxas, para nós valia a pena usar este cartão e sacar o dinheiro necessário para os próximos dias.

Trocando dinheiro em Bali

Já em Bali, resolvemos trocar um pouco de dinheiro para nos livrarmos das taxas e deixar para usar o cartão em outros países da nossa viagem pelo sudeste asiático.

Passamos alguns dias em Ubud, onde trocamos cerca de 150 dólares e foi tudo muito tranquilo, na melhor taxa que conseguimos encontrar naquela região em um money changer fora do centro movimentado.

Essa grana e mais um pouco que tínhamos foi suficiente para alguns dias naquela região, mas como queríamos visitar Nusa Penida e as ilhas próximas e depois voltar para Bali, precisaríamos trocar mais.

E foi aí que decidimos trocar dinheiro quando chegamos à região de Sanur. Tivemos um dia maravilhoso em Uluwatu, visitando as praias e o templo e, na volta, passamos nas lojinhas de ‘money changer‘ para trocar o dinheiro.

Assitindo ao pôr do sol em Uluwatu, um dos templos mais visitados de Bali

Assitindo ao pôr do sol em Uluwatu, um dos templos mais visitados de Bali

Os golpes do câmbio em Bali

Chegamos na primeira loja e os caras eram bem sorridentes e bem humorados, conversaram conosco, perguntando de onde éramos e ficaram felizes em saber que somos do Brasil. Pedimos para trocar 150 dólares, pois trocaríamos o resto na volta das Nusas.

Ele fez as contas e nos mostrou o valor total, que seria algo em torno de IDR 1.322.500,00, pouco mais de 1,3 milhão de rúpias. Ele contou as notas duas vezes e colocou o dinheiro no balcão. Como de costume, eu sempre conto o dinheiro antes de sair do lugar e, de preferência, na frente da pessoa que fez a troca.

Trocando uma ideia com homens indonésios em Sumatra | Victória/@naproadavida - câmbio em bali

Trocando uma ideia com homens indonésios em Sumatra | Victória/@naproadavida

Pois bem, contei o dinheiro e estava dando uma diferença de IDR 300 mil rúpias (mais ou menos 20 dólares). Pedi que a Victória contasse o dinheiro e a diferença era outra. Ficamos confusos e ele percebeu que estávamos desconfiados.

O atendente pegou o dinheiro de nossas mãos e contou novamente, eu acompanhava a contagem com os olhos e em minhas contas e ele falando, dava a quantia certa, juro, dava o valor exato que ele deveria nos passar pelos 100 dólares. Todas as notas eram de 50 mil rúpias.

Então nós contamos novamente e, mais uma vez, a diferença de 300 mil rúpias continuou, contamos de novo e de novo e a conta não batia. Ao fundo, os caras riam e faziam piadas perguntando se não sabíamos contar.

Então, pedimos que ele contasse mais uma vez devagar e ele se irritou, pegou os 100 dólares de dentro da gaveta e nos devolveu dizendo: não quero trocar o dinheiro, vocês são muito confusos.

SAY WHAT?!?! ? Nós saímos do lugar realmente sem entender nada, pois o cara contava e dava a conta certa, nós dois contávamos e dava uma diferença grande. Não era possível! Veja abaixo como colocamos o dinheiro visível para eles e para a nossa conta:

Fomos em um outro estabelecimento e já era tarde para trocar dinheiro, todas as lojas estavam fechando. Chegamos para trocar o dinheiro e o senhor disse que já estava fechando mas, que poderia trocar o dinheiro para nós.

Pois bem, ele contou o dinheiro e novamente, na conta dele, deu tudo certo! E claro, fomos contar o dinheiro para ter certeza de que aquele senhor tão simples e de boa aparência não iria nos enrolar e ADIVINHEM, estava errado novamente.

PORÉM: ele estava nos dando dinheiro A MAIS!!! Acreditem! Nós ficamos confusos novamente: PQP, o que há de errado conosco?!  Contamos o dinheiro mais uma vez e sim, ele estava nos dando exatamente 300 mil rúpias a mais.

Quando ele percebeu que fez a merda e que estávamos confusos e contando o dinheiro pela terceira vez, a energia do lugar simplesmente foi embora e nós ficamos no escuro, sim, sem luz nenhuma para conferir direito os valores. Foi aí que ele disse que não podia mais trocar o dinheiro se não houvesse energia no lugar e que estava fechando.

Nos devolveu a grana e simplesmente fechou a loja. Cara, tudo que eu queria era trocar dinheiro e ir embora. Nós pegamos a moto e dirigimos por mais alguns minutos até um centrinho que estaria aberto. Ali, paramos numa loja de roupas que dizia ‘Money Changer. No comission.

Bom, pensamos que esse seria o lugar ideal para trocar dinheiro. Entramos na loja e a senhora responsável nos levou a um guichê de trocas ao lado. Ela contou o dinheiro e nos deu. Contamos a grana e MEU DEUS!!! Estava errado novamente! ?

Notas de 100 mil rúpias indonésias | Foto: Bruno/@naproadavida

Notas de 100 mil rúpias indonésias | Foto: Bruno/@naproadavida

Ela percebeu que a gente já estava esgotado com isso, tirou 100 mil rúpias da gaveta e nos deu. Fiquei sem entender muito bem, contei de novo e ainda não batia a conta.

Novamente, ela tirou mais 100 mil e colocou no nosso bolo, numa tentativa de ainda ficar com os outros 100 mil. Eu fiquei puto, fiquei muito bravo, de verdade! Falei que não era possível, eu só queria trocar 100 dólares e ir dormir, comer, beber o que fosse! Só isso!

Perguntei por que ela estava fazendo isso conosco? Tentamos em três lugares e os três fizeram a mesma coisa! E como toda a sinceridade do mundo e bem aberta, ela disse: é porque nós temos que fazer uma comissão por fora! Eu olhei e simplesmente pedi meu dinheiro de volta.

Apontei para a placa e perguntei: por que está escrito aqui ‘no comission’? Ela disse que é normal na maioria das lojinhas e money changer estar escrito sem comissão, mas eles ganham mesmo nas grandes quantias, quando eles tiram a porcentagem deles.

Nessa hora nós pensamos em todos os gringos que vimos por aí trocando dinheiro, e na maioria das vezes era mais de 500 dólares. Pensamos nessa galera que simplesmente pega o dinheiro e sai da loja sem conferir.

Se de 100 dólares, queriam nos tirar 20 na malandragem, imagina quem troca 1.000? Bom, saímos daquela região e fomos voltando para o Chendana Homestay, nosso hotelzinho, para tentar achar um lugar que realmente conseguíssemos trocar, caso contrário, tentaríamos em Nusa Penida ou usaríamos cartão de crédito, se fosse necessário.

Não viaje para a Ásia sem seguro! Um dos principais gastos dessa nossa longa viagem pela Ásia é o seguro viagem, pois sabemos que prevenir é sempre importante, principalmente quando se trata do quesito saúde. Comprovamos isso quando o Bruno bateu a cabeça e precisou ser hospitalizado na Tailândia. Nós estávamos cobertos pela World Nomads e o suporte foi sensacional e em português. Eles oferecem 5% de desconto com o código: PROADAVIDA. Outro grande parceiro brasileiro é a Seguros Promo, que oferece 5% de desconto para os viajantes leitores do blog que usarem o código NAPROADAVIDA5. Assista aos vídeos desta playlist para ajudar na hora de fechar o seguro e garantir o desconto. Saúde durante a viagem não é brincadeira, não arrisque viajar sem seguro. 😉

A solução para trocar dinheiro em Bali

Na volta para o hotel, passamos por um lugar que estava bem iluminado, com segurança na porta e no letreiro dizia ‘Authorized Money Changer‘. Não sei se isso significava muito naquele momento, mas nós entramos.

A taxa de conversão deles era pior que a das lojinhas, e isso indicava que a comissão deles já estaria embutida ali.

Bruno trocando dinheiro na casa de câmbio de confiança. - câmbio em Bali

Bruno trocando dinheiro na casa de câmbio de confiança.

Bom, trocamos os 100 dólares e para a nossa surpresa: ESTAVA TUDO CERTO. Eles contaram na maquininha, pegaram nosso passaporte, endereço do hotel e nos fizeram assinar o documento. Foi tudo como deveria ser. Eu contei a eles sobre as tentativas anteriores e nos disseram que é isso mesmo.

As lojas colocam a melhor taxa possível para atrair as pessoas e na hora da troca eles tiram cerca de 20% como comissão para eles.

O nome dessa casa de câmbio em Bali é Pt. Dirgahayu Valuta Prima e nós havíamos trocado numa filial dela em Ubud, mas nem lembrávamos porque foi tudo certo e seria somente mais uma casa de câmbio no caminho. Eles tem um site (balibestrate.com) com os endereços mas se você não encontrar, prefira sempre lugares com câmeras e com segurança.

Os golpes são comuns na ilha, por isso é bom ter um bom seguro viagem para Bali, pois caso você precise de um suporte, eles estão ali 24h por dia.

Como evitar o golpe do câmbio em Bali

Nós quase caímos no golpe e tentaram por mais de três vezes, mas o melhor seria mesmo que não tivéssemos passado por essas situações.

De qualquer forma, estes acontecimentos servem para nos alertar e nos ensinar para o resto da viagem e viagens futuras. Aqui vão nossas dicas para evitar o golpe do câmbio em Bali:

  • Antes de ir à qualquer casa de câmbio em Bali, veja qual a taxa de conversão do dia. Existe um aplicativo chamado XE Moeda, que usamos sempre para fazer as conversões.
  • Quando estiver entrando na casa de câmbio, faça a conta da quantia que você quer trocar pelo valor informado por eles. Use a calculadora do celular e deixe visível pra eles saberem que você não é idiota.
  • Troque somente em casas de câmbio oficiais, a maioria delas possui o nome ‘Authorized Money Changer’ e grande parte possui câmeras e segurança na porta. Você vai perceber a diferença delas e das lojinhas de câmbio.
  • E por último, conte sempre o seu dinheiro na frente da pessoa que trocou, se possível, conte mais de uma vez. Se desconfiar, peça seu dinheiro de volta. Por isto, é bom sempre estar acompanhado na hora de trocar dinheiro em Bali.
Homem sentado nos templos de Bali, Indonésia | Foto: Bruno/@naproadavida - golpes de bali

Homem sentado nos templos de Bali, Indonésia | Foto: Bruno/@naproadavida

Outros golpes comuns na Indonésia

Além deste golpe nas casas de câmbio em Bali, a ilha está cheia de outros golpes que envolvem cartão de crédito, táxi, valores de transportes e mais.

É bom sempre ficar atento e desconfiar do que for bom demais. Alguns golpes a serem evitados:

Cartão preso no caixa eletrônico

Este acaba nem sendo um golpe na maioria das vezes, porém, as pessoas às vezes usam de má fé. Nos caixas eletrônicos de Bali e de todo o Sudeste Asiático, é comum você colocar o cartão e a máquina prendê-lo.

Você faz o saque e depois de tudo confirmado e dinheiro retirado, ela solta o cartão. Porém, muita gente acaba esquecendo o cartão na máquina e houve relatos de pessoas se aproveitando disso, pegando os cartões das máquinas e usando para comprar coisas em estabelecimentos ou online, onde não precisaria de senha. Tome cuidado e retire seu cartão após o saque.

Que tal garantir o seu chip com internet antes de sair do Brasil? A EasySim4U oferece diversos pacotes com internet ilimitada, além de pacotes de voz que você pode usar em mais de 190 países e o melhor, atendimento em português e entrega em todo o Brasil. Confira o melhor pacote para você. Use o cupom NAPROADAVIDA10 e receba 10% de desconto na compra do chip.

Passar duas vezes a compra no cartão de crédito

Ouvimos de uma amiga nossa durante a viagem que ao comprar souvenirs, pagou a conta no cartão de crédito. O problema é que a primeira compra “deu erro” após a senha dela e então o atendente “cancelou” a primeira transação e passou novamente.

Ela só percebeu isso alguns dias depois, quando foi ver a fatura do cartão e mostrava valores diferentes de compra no mesmo estabelecimento, era algo como US$80,73 e depois US$80,37. Bem esperto não é mesmo?! Tomem cuidado com isso também.

Tour gratuito pelos templos

Nós vimos isso acontecer no Camboja e Myanmar também. Algumas pessoas ficam na frente ou mesmo dentro dos templos esperando um estrangeiro passar para conversar e oferecer ajuda para andar pelo templo.

Você acha que fez mais um amigo, quando no final, eles te cobram pelo serviço de guia que acabaram de prestar. Em alguns lugares eles sugerem uma contribuição em outros eles forçam a pagar falando que você os contratou. É claro que você não pode deixar de fazer amigos locais, mas tome cuidado com este tipo de golpe.

E aí, gostou das dicas? E como foi a sua experiência com o câmbio em Bali? Conta pra gente aqui nos comentários! Se quiser ver mais fotos ou vídeos sobre Indonésia e outros países da Ásia, siga as nossas redes sociais: Instagram, Facebook, Pinterest e YouTube.

Veja também:

Que tal compartilhar?


Indo para a Tailândia?
Conheça os melhores passeios para a sua viagem. Guias, fotógrafos e atendimento em português.

Somos Bruno & Vic, dois viajantes que se conheceram e se apaixonaram trabalhando a bordo de um navio de cruzeiros. Em 2016, saímos em uma viagem ao mundo e, desde então, levamos a nossa vida na estrada. Entre caronas, voluntariados e trabalhos online compartilhamos nossas inúmeras experiências e pouco dessa vida nômade aqui no Blog Na Proa da Vida, veja mais

Planeje sua viagem

seguro viagem

hotéis

chip de internet

trabalho voluntário

passeios & ingressos

transporte pela ásia

Veja mais sobre o mesmo assunto:

Nota: este post pode conter links de parceiros do blog Na Proa da Vida. Isso significa que ao comprar um de seus produtos você estará ajudando na manutenção do nosso blog e do conteúdo de qualidade produzido para você. Não se preocupe, você não paga nadica de nada a mais por isso e ainda nos motiva a conseguir descontos exclusivos, em diversos serviços, para os leitores do Na Proa da Vida. Saiba mais.

<a href="https://www.naproadavida.com/" target="_blank">Bruno</a>
Bruno
Já morei numa casa de lata flutuante onde o maior prazer era descobrir os sete mares. Trabalhei nos maiores eventos esportivos do mundo e vi o Bolt voando para mais um ouro no Rio de Janeiro. Hoje viajo o mundo sem data de volta para casa, na verdade, tenho chamado o mundo de minha casa. Não conto quantos países conheci pelo número de carimbos no passaporte, pois às vezes conheço dez países dentro de um só. Mergulhador e amante do oceano, amo aprender novos idiomas e coisas novas e escrevo sobre algumas das minhas aventuras no Na Proa da Vida.

Pode ser interessante para a sua viagem

E aí, que tal deixar um comentário? ?

10 Comentários

  1. Fernanda Scafi

    Boa dica de um lugar confiável para fazer câmbio em Bali – dá raiva demais esses golpes safados que aplicam nos turistas em Bali e no mundo todo né? Ainda mais pra quem não viaja no esquema luxo e o dinheiro não costuma estar sobrando…

    Responder
  2. Cleo

    Como podem se aproveitar do turista, poxa, a gente não está tranquilo em lugar nenhum desse mundo. Sempre temos que estar atentos a golpes. Valeu teu post alertando sobre os golpes em Bali.

    Responder
    • Victória Farina

      Sim Cleo, infelizmente temos que estar atentos aonde estivermos em relação a golpes com turistas!

      Responder
  3. Fabíola Moura

    Nossa, é muita gente querendo tirar vantagem do turista. Esse tipo de coisa, golpes e mais golpes me dão uma sensação de insegurança e acabam prejudicando o turismo. Não sabia que Bali era assim, obrigada pelo alerta.

    Responder
  4. Aline Silva

    Que coisa doida eu tinha certeza que já tinha comentado aqui hahaha só queria dizer que foi ótimo saber sobre esse golpe do cambio em Bali, me ajudou demais a entender o processo todo e também a já saber como eu poderia ser enganada. Obrigada mesmo por compartilhar esse tipo de informação, sempre ajuda demais.

    Responder
    • Victória Farina

      Que ótimo saber que te ajudou a planejar a sua viagem para a Indonésia e evitar confusões e perrengues 🙂

      Responder
  5. Gisele

    Tem gente tentando enrolar os outros em todos os lugares! Inacreditável! Obrigada pelas dicas de como evitar golpes em Bali, na Indonésia.

    Responder
    • Victória Farina

      Imagina, Gisele. Bom saber para evitar perrengues em sua viagem na Indonésia ne 🙂

      Responder
  6. Debora

    E eu pensando que era só no Brasil que tinham enroladores de turistas… muito chato isso. Nos ainda somos desconfiados por causa do nosso país, mas os europeus com certeza são enrolados . Muito triste isso

    Responder
    • Bruno Miguel

      Na verdade, o Brasil fica muito atrás de muitos dos países que recebe turistas e claro, a gente não pode comparar, né!? A gente tem que tá sempre atento em todos os lugares, até mesmo na Europa, onde o número de golpes também é grande, de formas diferentes, mas são muitos. ???

      Responder

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *