Saco do Mamanguá: o que fazer nesse refúgio caiçara em Paraty, Rio de Janeiro

Home » Américas » Saco do Mamanguá: o que fazer nesse refúgio caiçara em Paraty, Rio de Janeiro

Atualizado em Apr 1, 2021

Por: Victória

Atualizado em Apr 1, 2021

Por: Victória

“Esse é o lugar mais lindo que eu já vi na vida” foi uma das frases que mais escutamos das poucas pessoas que encontramos em nossa viagem para o Saco do Mamanguá, pedacinho de Paraty no Rio de Janeiro. O lugar, que é conhecido por sua tranquilidade e paisagens de tirar o fôlego, conquistou o nosso coração por razões bem diferentes das que você pode imaginar. Vou contar aqui as dicas do que fazer que recebemos dos caiçaras que moram no Saco do Mamanguá, localizado na Costa Verde carioca.

Posts relacionados:

Viagem para o Saco do Mamanguá, RJ

Um pouquinho da história do lugar

Nós viajamos para o Saco do Mamanguá para visitar o único fiorde tropical do Brasil, para ver de perto um lugar exótico e perfeito para ir durante a pandemia do coronavírus, mas, quando chegando lá, percebemos que o Saco é muito mais que isso.

Gostamos de apelidar o Saco do Mamanguá como “casa do seu Orlando”, um senhorzinho que revolucionou a região e continua dando o ar das graças com um sorriso no rosto. Conhecer um pouco da história desse senhor nos fez admirar ainda mais a paisagem deslumbrante e é por isso que queremos, além de dar dicas do que fazer no Saco do Mamanguá, também te contar um pouco do contexto e de como essa área é especial:

Seu Orlando tem 71 anos e mora há 50 anos no Saco do Mamanguá. Ele criou seus filhos e família ali, naquele pedaço de terra que, agora, é dividido entre casa, restaurante, camping, pousada e casas de aluguel. A casa dele, de frente para a praia no lugar mais privilegiado, é linda e ficamos abismados com a sorte que ele tem. Conversando com seu filho Jaime ficamos sabendo um pouco mais da história dessa família que cuida do espaço e tenta preservar ao máximo.

Seu Orlando administrou sozinho o restaurante por muitos anos e, mesmo assim, tirou tempo para abrir a trilha que sobe até o Pico do Pão de Açúcar, uma das principais atrações do Saco do Mamanguá atualmente. Muitas pessoas vão para o Saco somente para subir a trilha que te dá uma visão dos fiordes tropicais absurdamente privilegiada. Imagina o orgulho do seu Orlando de dizer que foi ele quem vasculhou e abriu caminho para que todos pudessem se surpreender tamanha beleza do seu lugarzinho no mundo. E o mais interessante é que a trilha foi aberta somente em 2001!

O cartão postal do Saco do Mamanguá: Pico do Pão de Açúcar.

O cartão postal do Saco do Mamanguá: Pico do Pão de Açúcar.

Seu filho Jaime cuida do legado que seu Orlando construiu e a sua esposa, Dayane, dá o suporte atendendo as pessoas com um sorriso no rosto e cordialidade sem igual. Perguntamos sobre alguns outros estabelecimentos muito famosos da região como restaurante do Dadico, do Cruzeiro e do Zizinho e o Jaime nos respondeu com um sorriso no rosto sobre seus concorrentes: “é minha tia, meu primo, meu irmão”. Lá todo mundo se conhece e é família e isso que torna o Saco do Mamanguá um lugar tão relaxado.

Foi com as dicas dos nossos amigos cariocas e do Jaime que descobrimos as melhores coisas para fazer no Saco do Mamanguá e vamos contar para você em detalhes para que saiba tudo sobre essa região magnífica que fica no Brasil, seja para ficar somente um dia, um fim de semana ou o quanto puder:

O que fazer no Saco do Mamanguá, Rio de Janeiro

Relaxar

O Saco do Mamanguá é aquele lugar que te faz transpirar tranquilidade. Parece que a partir do momento que você pisou em suas areias ou nadou em suas águas a sua mente descansa e seu corpo relaxa. Nós comentamos que até o tempo passa devagar no Saco. Como acordamos cedo nós aproveitamos DEMAIS todas as atrações e, ainda, tivemos vários momentos para simplesmente fazer nada e aproveitar a natureza ao nosso redor.

Sinta a brisa do mar, curta essa paisagem deslumbrante e aprenda um pouco com os locais sobre como viver melhor e mais tranquilo. Tire um tempinho para não fazer absolutamente nada, outro tempinho para ler um livro ou ouvir o barulho do mar. Com certeza o Saco do Mamanguá é um dos poucos destinos do Brasil que você consegue fazer isso em qualquer hora do dia sem muitas interrupções. Ah, não deixe de ver o pôr do sol ao menos uma vez em alto mar e de apreciar esse espetáculo gratuito todo dia de um lugar diferente. Nòs fizemos isso e não nos arrependemos.

No seu momento de ócio não deixe de notar a paisagem e o seu entorno. O Saco do Mamanguá é um dos lugares com a mata Atlântica mais preservada do Brasil! Temos que agradecer isso a Reserva Ecológica de Joatinga e a população local de caiçaras.

Ah, outro fator que te ajuda bastante a relaxar é a falta de sinal de telefone e wifi na área. Você fica totalmente desligado de tudo e todos e pode se conectar com você e com a natureza.

As praias do Saco tem águas verdinhas e super calmas.

As praias do Saco tem águas verdinhas e super calmas.

Dicas de onde ficar no Saco do Mamanguá:
Leia nosso post SUPER completo com dicas de hospedagem..
Você também pode ir ver direto os melhores hotéis.

Subir até o Pico do Pão de Açúcar

Não, você não está enganado lendo dicas sobre o que fazer na cidade do Rio de Janeiro. Acontece que também tem um Pão de Açúcar no Saco do Mamanguá e, essa montanha de cerca de 425 metros de altura, é vista por quase toda a área do Saco de tão alta em comparação às outras montanhas ao redor. Lá de cima você tem uma vista privilegiada da paisagem maravilhosa do Saco.

O começo da trilha fica na praia do Cruzeiro, a mais conhecida da região. São 1,5km de subida até o cume. Você não paga nada para subir a trilha e, mesmo sendo puxadinha, ela é bem fácil de seguir, não é necessário contratar um guia. Por ser uma subidona de mata fechada, recomendamos que faça de tênis e leve bastante água além de um lanchinho de recompensa após a subida. Não esqueça de usar repelente (SÉRIO!) e passar protetor solar, já que no cume não tem nenhuma proteção contra o sol.

Para nós, a trilha foi 1h30 praticamente inteira de subida com muitas paradas para tomar água e apreciar as lindas árvores. Tem gente que sobe em 40 minutos, mas tem que ter um ÓTIMO condicionamento físico. Vimos algumas pessoas subindo a montanha descalços e de roupas de banho e, na descida, percebemos o sofrimento com os pés machucados e as picadas de mosquito. É melhor evitar, não é mesmo?

Outra coisa que queremos contar é que existem muitas pessoas que vem de fora do Saco do Mamanguá de passeio somente para fazer essa trilha. Pelo que percebemos os passeios começam a chegar por volta das 11h, então o ideal é fazer antes disso se quiser evitar multidões. Nós chegamos às 10h30 e ficamos praticamente sozinhos até as 11h30 quando uma multidãozinha chegou e queria ocupar o pequeno espaço disponível do cume.

Outro motivo para chegar cedo é a previsão do tempo que, durante o verão, é bem instável. Nós pegamos sol pesado até ás 11h20 e, depois, a paisagem mudou TOTALMENTE já que sombras encobriram a paisagem e a água, que era cristalina, ficou turva e escura.

A vista absurda do Saco do Mamanguá, esse paraíso em Paraty.

A vista absurda do Saco do Mamanguá, esse paraíso em Paraty.

Mais detalhes sobre o pico do Pão de Açúcar

A vista do pico do Pão de Açúcar é provavelmente a mais linda de toda a região, com a paisagem dos fiordes tropicais apaixonantes! O que mais queremos te dar de dica além da distância para chegar no cume e o que levar é que aproveite a vista. Vimos pessoas chegando de uma hora de caminhada, suadas e ficarem menos de 10 minutos lá em cima já que tinham que descer e se encontrar com o barco de passeio. Tire um tempo para, além de ter fotos bonitas, apreciar essa paisagem única. Relaxe, respire, tome uma aguinha aproveitando o que, para nós, foi uma das paisagens mais lindas que vimos no Brasil.

Na subida, quando visitamos, tinham duas crianças com um cooler vendendo água de coco e bebidinhas, mas é melhor não contar com a presença deles e levar o que for consumir.

Uma curiosidade interessante é que o seu Orlando, dono da pousada que nos hospedamos, foi a pessoa que abriu a trilha até o pico do Pão de Açúcar, há anos atrás. O restaurante dele fica bem próximo ao início da trilha e a comida é DELICIOSA!

Ah, também é legal saber que a trilha, mesmo bastante íngreme, vai fazendo a volta na montanha. Diversas vezes procuramos avistar o mar e, somente no final da trilha, percebemos que estávamos caminhando do lado oposto, com vista para outra montanha vizinha.

Trilha para o cume do Pão de Açúcar do Saco do Mamanguá, Rio de Janeiro.

Trilha para o cume do Pão de Açúcar do Saco do Mamanguá, Rio de Janeiro.

Pensando em viajar por um longo período e fazer trabalhos voluntários?
Acesse o site da Worldpackers e tenha US$10 de desconto na sua próxima experiência no exterior.

Atividades para fazer no Saco do Mamanguá, Paraty

Alugar um caiaque

O nosso melhor dia no Saco do Mamanguá foi quando alugamos um caiaque e saímos desbravando esse paraíso brasileiro na Terra. Além de pararmos no meio do nada para dar um mergulho, também fizemos paradas em praias desertas, nos maravilhamos com a beleza cênica do manguezal com águas cristalinas e relaxamos a alma dando um mergulho na famosa cachoeira.

A dica é sair cedo principalmente se estiver viajando pelo Saco durante o verão, quando a chuva ao final do dia é praticamente obrigatória. Nós saímos às 9h e retornamos somente às 18h30, depois de se encantar com o pôr do sol em alto mar.

O aluguel por uma hora sai cerca de R$ 30 e, para o dia inteiro, R$ 100. Nós alugamos o caiaque em nossa pousada.

O melhor trajeto é sair da sua acomodação e ir em direção ao manguezal, parando quando tiver vontade de mergulhar ou explorar alguma prainha no caminho. Se estiver saindo da praia do Cruzeiro você vai passar por uma ilha e uma ilhota. Na ilha maior tem um restaurante com petiscos e a ilhota é um lugarzinho para relaxar. Se parar para petiscar algo na ilha grande não deixe de ir no viewpoint que tem uma vista linda do Pão de Açúcar.

Aluguel de caiaque no Saco do Mamanguá, Paraty.

Aluguel de caiaque no Saco do Mamanguá, Paraty.

Mais dicas sobre andar de caiaque no Saco do Mamanguá:

Passe pelo manguezal BEM devagar sem fazer barulho e preste atenção nas centenas de caranguejos se escondendo de você. Isso foi com certeza uma das experiências mais incríveis que tivemos no Saco e que vou me lembrar sempre. Sem contar com a beleza das bromélias presentes em vários galhos em meio ao mangue! A área é super preservada e, depois, ficamos sabendo que esse é o maior manguezal da baía de Ilha Grande. Tá explicado!

Não deixe de fazer a trilha para a cachoeira Rio Grande (cerca de 10 minutos) e delicie-se com uma água cristalina e gelada. Volte com calma para a sua acomodação apreciando ainda mais essa paisagem maravilhosa e exótica.

Ah, não esqueça de passar protetor solar, repelente e levar uma blusa de manga comprida para se proteger do sol. Uma ótima opção é colocar tudo numa mochila à prova d’água e amarrar de alguma maneira no caiaque já que, se ele virar, você não perde tudo. Uma GoPro é ideal para tirar fotos ou leve uma proteção de celular e deixe presa no seu pescoço. Se precisar, não se esqueça do carregador portátil e uma canga que pode ser útil também. Eu sou branquela e usei a canga para cobrir minhas pernas do sol e isso foi ÓTIMO.

Para comer, nós levamos duas garrafas de 1L, um pacote de Passatempo, um pacotinho de amendoim e um de torradinhas e comemos quase tudo. Tirando a ilha com restaurante e as praias próximas, não tem estrutura para comprar então é melhor ir preparado.

"Estacionamento" de barcos antes da trilha para a Cachoeira Rio Grande.

“Estacionamento” de barcos antes da trilha para a Cachoeira Rio Grande.

Saiba como chegar no Saco do Mamanguá neste guia super completo com todas as dicas, valores, empresas e trajetos disponíveis. Dica: você pode alugar um carro ou usar o Buser.

O que fazer no único fiorde brasileiro

Passeio de barco

Para quem não curte ou não pode remar também é válido fazer um passeio de barco pelas praias da região. Você pode escolher entre uma lancha rápida, um barco de madeira ou até um veleiro ou iate (vimos vários por lá!). São mais de 30 praias com paisagens totalmente diferentes para você curtir.

Um único problema do passeio de barco é que veículos motorizados não podem entrar no manguezal e, além de não ter a experiência de ver esse ecossistema totalmente preservado, você ainda não poderá chegar na cachoeira Rio Grande. Por favor não insista em entrar no manguezal com barco de motor já ue isso atrapalha MUITO a biodiversidade e conservação desse lugar incrível.

Paradas típicas dos passeios de barco no Saco do Mamanguá são: praia do Engenho e Praia Grande da Cajaíba (que tem uma cachoeira). Não podemos deixar de citar a tão conhecida parada onde tem a casa que foi cenário do filme Crepúsculo (Amanhecer Parte I), chamada de Praia da Costa.

O passeio de barco saindo das praias no Saco do Mamanguá custam cerca de R$ 100 a hora. O valor depende do número de pessoas e trajeto. Sugerimos que pergunte em sua pousada a respeito de um barqueiro confiável para essa aventura que pode ser nas praias da região ou até para Paraty e praias próximas.

Se você não for se hospedar no Saco do Mamanguá pode fazer um passeio de barco saindo de Paraty e fazendo paradas nesse braço de mar do litoral do Rio de Janeiro. Veja mais detalhes! E também tem diversos outros passeios em Paraty para você escolher 🙂

LEIA TAMBÉM: Lista com as 9 melhores pousadas para ficar em Caraíva na Bahia

Passeio de barco no Saco do Mamanguá, Paraty.

Passeio de barco no Saco do Mamanguá, Paraty.

Outras atividades para fazer no Saco do Mamanguá

SUP ou canoa

Você também pode alugar um stand up paddle (SUP) ou uma canoa e ir nas praias próximas ao seu hotel, sem um roteiro definido. As águas verdinhas e calmas vão te relaxar. Um destino comum ao final do dia é ir ver o pôr do sol nas ilhotas do meio do Saco do Mamanguá.

A maioria das pousadas alugam esses equipamentos, que são perfeitos para visitar as belezas do Saco do Mamanguá em Paraty. Algumas pousadas, como o Refúgio, disponibilizam gratuitamente então informe-se.

Natação

Quem curte nadar vai se apaixonar pelas águas calmas do Saco do Mamanguá. Você pode levar seu equipamento ou simplesmente ir nadando como bem entender, tomando cuidado apenas para não ir nas áreas de passagem de barco.

Ver os plânktons fosforescentes

Ouvimos dizer que, durante a lua nova ou crescente, você consegue ver plânktons fosforescentes nas águas do Saco do Mamanguá. Como fizemos centenas de passeios assim na Tailândia decidimos não tentar mas você com certeza pode pedir mais informações para os caiçaras sobre esse fenômeno tão lindo e empolgante onde parece que a água tá brilhando de tão maravilhosa.

Trilhas do Saco do Mamanguá

Você pode também caminhar por diversas trilhas que te levam às praias paradisíacas da região. Saindo da praia do Cruzeiro a direita olhando para o mar tem a Praia do Engenho (3,6km de caminhada) e a Praia Grande (7,1 km).

As trilhas são de dificuldade moderada já que tem muitas subidas e descidas além de muita lama e rochas. Até a parte que fomos ela era bem fechada com pouca entrada de sol e MUITOS mosquitos. Não deixe de passar protetor solar e levar repelente, além de água e uns lanchinhos.

Quando estiver curtindo as praias do Saco do Mamanguá não deixe de ficar paradinha(o) por bastante tempo até os peixinhos começarem a te rodear e dar umas mordidinhas. Lembramos muito de uns peixes da Tailândia que comem as suas células mortas e é uma sensação bem gostosa. Enquanto estiver na espera fique de olho já que vimos DIVERSOS peixes dando pulos altíssimos no meio do mar. Era cada susto que a gente tomava com esses peixes!

O Saco do Mamanguá é um refúgio de mar entre montanhas.

O Saco do Mamanguá é um refúgio de mar entre montanhas.

Comer, comer e comer!

No Saco do Mamanguá não tem nenhum restaurante 5 estrelas, mas a comida é feita com carinho e com ingredientes tão naturais que não tem como não se apaixonar. Nós estamos evitando comer carne, mas foi impossível não se deliciar com o arroz com feijão e peixinho frito ali na hora.

Em todos os restaurantes tem PF de arroz, feijão, farofa, salada e você pode escolher entre omelete, lula ou peixe para acompanhar. Os valores variam de R$ 25 a 60 por prato, que pode servir uma ou duas pessoas, dependendo da fome. Você também pode pedir porções de camarão, batata frita, pirão entre outras delícias.

Existem alguns restaurantes na ilha, vamos citá-los rapidamente já que temos este post aqui com todas as dicas de restaurantes e onde comer no Saco do Mamanguá:

  • Restaurante do Orlando e Maria
  • Restaurante do Cruzeiro
  • Restaurante do Dadico
  • Restaurante da Dona Gracinha e Juray
  • Restaurante do Zizinho
  • Mamanguá Eco Lodge
  • Refúgio Mamanguá
Restaurante do Cruzeiro na praia de mesmo nome.

Restaurante do Cruzeiro na praia de mesmo nome.

Atrações do Saco do Mamanguá: esse paraíso pouco explorado em Paraty

Observar um pouco da vida dos moradores caiçaras

Nós andamos até o final da praia do Cruzeiro e, depois de apenas alguns passos após o restaurante de mesmo nome, percebemos uma mudança brusca de paisagem. As pousadinhas foram substituídas por casas mais simples, pequenos píer e até uma igrejinha.

Foi muito interessante conversar com os caiçaras e saber um pouco da história, costumes e estilo de vida deles. O que sentimos falta foi de ver um pouco mais do artesanato local mas decidimos que a falta disso era melhor do que várias lojinhas de artigos de decoração como vemos em Paraty. Sem contar com a apreciação da gastronomia local, uma boa desculpa para comer toda refeição um peixinho frito delicioso.

Como viajamos durante a pandemia do coronavírus evitamos passar perto das casas e, obviamente, estávamos de máscara respeitando os locais. Mesmo com o distanciamento social deu para ouvir risadas, conversas e um pouco de como é essa vilinha de pescadores.

Igrejinha praia do Cruzeiro, Paraty (RJ)

Igrejinha praia do Cruzeiro, Saco do Mamanguá (RJ)

O que fazer a noite no Saco do Mamanguá

Dormir! A vida lá é lenta e todo mundo dorme cedo para aproveitar o dia seguinte. Vimos pessoas fazendo fogueiras, tocando violão e até jogando baralho (nós haha) mas, depois das 22h, a calmaria tomava conta e os únicos sons que escutávamos eram dos sapos e animais noturnos.

Se você está viajando sozinha (o) recomendamos que fique num acampamento ou no Mamanguá beach Hostel que tem um barzinho e você irá conseguir conhecer mais pessoas (se este for seu objetivo).

Como foi viajar para o Saco do Mamanguá durante a pandemia do coronavírus

Depois de mais de seis meses trancados em nossas casas de São Paulo decidimos nos aventurar e passar o ano novo (reveillon) no Rio de Janeiro. Depois de acampar nas montanhas da República Três Picos, lugar próximo de Teresópolis, não estávamos prontos para voltar a cidade de pedra.

Mesmo com muito medo de viajar durante a pandemia, decidimos tentar a sorte e buscar um lugar super tranquilo, isolado e fora do circuito turístico mais conhecido do litoral carioca (como Trindade, Paraty, Angra dos Reis e Arraial do Cabo). Nossos amigos cariocas nos recomendaram o Saco do Mamanguá e, depois de ler um pouquinho sobre esse lugar, reservamos nossa acomodação e fomos correndo para lá!

Mesmo tendo que pegar ônibus público da Rodoviária de Paraty até Paraty Mirim e depois um barco até a nossa acomodação nos sentimos muito seguros neste trajeto. Na rodoviária praticamente ninguém estava usando máscara mas dentro do ônibus todos colocaram. Veja mais dicas de como chegar no Saco!

Em nossa chegada ficamos felizes de ver que os funcionários da nossa pousada estavam usando máscara, mas chocados com a falta de respeito dos outros turistas. Ficamos muito longe de todos e tentamos ao máximo manter uma distância imensa de todos já que, por ser nossa primeira viagem, ainda estamos bem assustados. Nas trilhas e praias não vimos ninguém de máscara mas as distâncias eram consideráveis que, as vezes, até nós relaxávamos.

Evitamos comer fora em toda a nossa viagem no Rio de Janeiro e apenas no Saco do Mamanguá, mesmo tendo levado comida para cozinhar, nos sentimos seguros o bastante para comer todos os dias no restaurante do seu Orlando. No passeio de caiaque, na subida pro Pico do Pão de Açúcar e nas nossas andadas na praia mantemos um distanciamento de mais de 3 metros de distância das pessoas e percebemos que dá sim para viajar de maneira segura se você tomar cuidado e cuidar de si e das pessoas ao entorno.

A nossa principal preocupação e pedido é a mesma da placa abaixo: RESPEITE OS CAIÇARAS! Nós somos o principal perigo deles e, usar máscara, é o mínimo a se fazer para proteger essas pessoas tão relaxadas e tranquilas.

Placa na praia do Cruzeiro, Saco do Mamanguá (RJ)

Placa na praia do Cruzeiro, Saco do Mamanguá (RJ)

Leia também:

E aí, gostou das dicas de viagem? E como foi a sua experiência visitando o Saco do Mamanguá? Conta pra gente aqui nos comentários! Se quiser ver mais fotos ou vídeos sobre o Brasil e outros países da América do Sul, siga as nossas redes sociais: Instagram, Facebook, Pinterest e YouTube.

Que tal compartilhar?

Indo para a Tailândia?

Conheça os melhores passeios para a sua viagem. Guias, fotógrafos e atendimento em português.

Somos Bruno & Vic, dois viajantes que se conheceram e se apaixonaram trabalhando a bordo de um navio de cruzeiros. Em 2016, saímos em uma viagem ao mundo e, desde então, levamos a nossa vida na estrada. Entre caronas, voluntariados e trabalhos online compartilhamos nossas inúmeras experiências e pouco dessa vida nômade aqui no Blog Na Proa da Vida, veja mais

Planeje sua viagem

seguro viagem

hotéis

chip de internet

trabalho voluntário

passeios & ingressos

transporte pela ásia

Veja mais sobre o mesmo assunto:

Nota: este post pode conter links de parceiros do blog Na Proa da Vida. Isso significa que ao comprar um de seus produtos você estará ajudando na manutenção do nosso blog e do conteúdo de qualidade produzido para você. Não se preocupe, você não paga nadica de nada a mais por isso e ainda nos motiva a conseguir descontos exclusivos, em diversos serviços, para os leitores do Na Proa da Vida. Saiba mais.

Publicado em: Atualizado em Apr 1, 2021
i
Categorias: Américas | Brasil | Rio de Janeiro
<a href="https://www.naproadavida.com/" target="_blank">Victória</a>
Victória
Nascida em São Paulo, estudou Lazer e Turismo (USP) e tem no DNA a palavra viagem. Ama dar dicas de viagens e contar as experiências que já viveu. Já visitou mais de 45 países e não pretende parar tão cedo.

Pode ser interessante para a sua viagem

E aí, que tal deixar um comentário? ?

18 Comentários

  1. Lilian Azevedo

    Amei,amei e amei !!!!!! Que delícia conhecer o Saco do Mamanguá em Paraty através do seu olhar ! Há anos sonho conhecer essa região mas tenho muito medo pegar barco pequeno em mar aberto. Adorei as dicas e já salvei !!!!!!

    Responder
    • Victória Farina

      Olha Lilian, não posso falar muito pois somos marujos hahaha já trabalhamos em navio e agora organizamos passeios de barco na Tailândia mas o mar aberto que você enfrenta é SUPER TRANQUILO e você nem vai sentir medo, pode crer. Vale a pena passar 10 minutos de aperto para curtir esse paraíso 🙂

      Responder
  2. Daniela Schneider

    Amei demais o post! Não conhecia o Saco do Mamanguá em Paraty e achei um lugar ótimo para visitar principalmente nesta fase! E a história do seu Orlando? Muito legal!
    Gostei muito das dicas dos restaurantes também! rsrsrsr

    Responder
    • Victória Farina

      Que bom que curtiu nossas dicas do Saco do Mamanguá, Daniela!! Nós amamos demais o Saco e esperamos que outras pessoas visitem e cuidem desse pedacinho de paraíso em Paraty, Rio de Janeiro.

      Responder
  3. Cintia Vaz

    Eu ainda estou trancada em casa, mas confesso que já estou cansada. Estou pensando seriamente em fazer uma viagem no estilo turismo de isolamento, indo para algum lugar tranquilo, isolado e totalmente longe de pessoas. Adorei a opção de vocês. Eu só ficaria com medo de ver todo mundo sem máscara na rodoviária. Ainda bem que todos colocaram máscara dentro do ônibus. Graças a Deus. Adorei esse destino Saco do Mamanguá. Não conhecia.

    Responder
    • Victória Farina

      Olha Cintia, nós ficamos desde março do ano passado trancados e essa escapadinha foi perfeita para nós! Não quero incitar a viagem para ninguém mas um turismo de isolamento melhora sua mente e te ajuda em diversos sentidos. Tenta ir de carro para um lugar próximo e depois me conta como foi 🙂

      Responder
  4. Hebe

    Amei esse lugar e já quero conhecer. Sem contar que o saco do mamangua é repleto de coisas legais para fazer né? Top!

    Responder
    • Victória Farina

      Siiiim! Tem muitas opções de coisas para fazer além de ser o lugar perfeito para descansar e relaxar. A combinação perfeita de destino turístico no Brasil, ne?

      Responder
  5. Angela Martins

    Que espetáculo esse lugar! Eu não conhecia o Saco do Mamangua! Adorei o post!

    Responder
    • Victória Farina

      Agora você ficou conhecendo um destino exótico e maravilhoso para fugir das multidões no Rio de Janeiro, Angela 🙂

      Responder
  6. Letícia

    Amei conhecer o Saco do Mamanguá e saber tudo o que fazer nesse refúgio caiçara em Paraty! É um lugar que eu não conhecia e agora descobri que vale super a pena a visita. Eu gosto bastante de Paraty e é muito bom saber mais essa opção de lazer e turismo na cidade! Seu post está super completo!

    Responder
    • Victória Farina

      Que ótimo saber que curtiu nossas dicas do Saco do Mamanguá, Letícia! Paraty é linda mas o Saco é um caso a parte, só visitando para entender porque a paisagem dos únicos fiordes do Brasil é de arrepiar 🙂

      Responder
  7. normeide neto de carvalho

    Que incrível. Nunca tinha ouvido falar do Saco do Mamanguá em Paraty e fiquei totalmente encantada. Já quero conhecer. Amei todas as dicas e já salvei o post.

    Responder
    • Victória Farina

      Ótimo que curtiu nossas dicas de viagem para o Saco do Mamanguá, Normeide 🙂 agora só falta viajar para esse paraíso!

      Responder
  8. Deyse Marinho

    Estou perdidamente apaixonada pelo Saco do Mamanguá. Quando estive em Paraty, Rio de janeiro, não tive tempo pra explorar com afinco a bela e rara natureza local e amei conhecer aqui este sítio exótico. Obrigada pelas dicas!

    Responder
    • Victória Farina

      Que bom que curtiu nossas dicas do Saco do Mamanguá, Deyse! Nós ficamos apaixonados também, não vemos a hora da próxima viagem 🙂

      Responder
  9. Fabíola Moura

    Lugar realmente perfeito para relaxar, com fiorde e até Pão de Açúcar próprio. Adorei conhecer mais esse cantinho de Brasil chamado Saco do Mamanguá lendo esse post. Mais um motivo para visitar Paraty e região e voltar ao Rio de Janeiro.

    Responder
    • Victória Farina

      O Saco do Mamanguá te dá mais de 30 motivos para visitar Paraty, Fabíola. Voltamos apaixonados por esse lugar e doidos para voltar em breve! Perfeito para fugir da agitação de Paraty

      Responder

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *