Gardens by the Bay: O jardim cartão-postal de Singapura

Home » Singapura » Gardens by the Bay: O jardim cartão-postal de Singapura

Atualizado em Mar 1, 2021

Por: Bruno

Atualizado em Mar 1, 2021

Por: Bruno

O Gardens by the Bay é uma daquelas atrações obrigatórias quando o assunto é o que fazer em Singapura. Nós visitamos o parque e passamos uma tarde inteira por lá andando e apreciando essa maravilha singapurana, e isso somente nas atrações gratuitas do imenso jardim botânico.

Informações sobre o Gardens by the Bay

Inaugurado em 2012, o impressionante Gardens by the Bay (Jardins da baía – como vimos em algumas traduções estranhas para o português) :P, está localizado na famosa Marina Bay, que fica na área central e mais movimentada da cidade.

Voltado para o tema da sustentabilidade e uso eficiente dos recursos naturais, o jardim é uma daquelas atrações perfeitas para quem gosta de natureza, arte, design e um modelo de arquitetura bem moderno.

Perfeitamente construído em uma área de cerca de 101 hectares entre e o mar e complexo do Marina Bay Sands, o Gardens by the Bay é responsável por vistas de tirar o fôlego a cada curva feita entre as lindas árvores e plantas que estão por todo o jardim, que possui duas áreas principais, o Bay South Garden e o Bay East Garden.

Criança local admirando o lago e as SuperTree em Singapura

Criança local admirando o lago e as SuperTree | Foto: Bruno Miguel

Você verá por todo o parque algumas informações e imagens de um Dragonfly (Libélula), que é o símbolo do jardim. Com um custo absurdo de 800 milhões de dólares para a sua construção, ele é provavelmente o jardim botânico mais caro e mais moderno do mundo hoje em dia.

O Gardens by the Bay é gratuito para a visitação do jardim, porém existem algumas áreas pagas e falaremos sobre elas daqui a pouco.

Curiosidade: Em 2012, (ano de inauguração) o Gardens by the Bay ganhou o título de construção do ano pelo World Architecture Festival pelo seu modelo de conservação das espécies que estão na parte indoor do jardim. https://www.worldarchitecturefestival.com/

As Super Árvores vista de um ângulo diferente - Gardens by the Bay

As Super Árvores vista de um ângulo diferente | Foto: Bruno Miguel

O Gardens by the Bay

Chegando no jardim botânico pela entrada que fica aos pés do hotel Marina Bay Sands, a surpresa já fica por conta das áreas verdes e tanta natureza que toma o lugar, fazendo com que nos sintamos fora da cidade, mesmo estando na área mais central e turística dela.

Pegamos um mapa e saímos para explorar o imenso jardim. Seguindo o caminho a esquerda, nós chegamos ao Dragonfly Lake, um lago que possui uma vista linda para o SuperTree Grove (Super Árvores) e mostra realmente porque essas árvores são o símbolo do jardim e o motivo de também serem um cartão-postal de Singapura.

Seguindo pelo mesmo caminho a esquerda e sempre contornando o lago, a paisagem fica ainda mais bonita. O Singapore Flyer (roda-gigante) e o Marina Bay Sands estão sempre presentes para deixar o plano de fundo cada vez mais sensacional.

Logo após o Dragonly lake está o Silver Garden, um jardim com três lindas Super Árvores, onde é possível ler um pouco sobre toda a estrutura das árvores e do parque e relembrar um pouquinho de como funciona o ecossistema do nosso planeta.

Jardim Colonial em Singapura

Jardim Colonial

Heritage Gardens (jardins étnicos)

Esta é uma área que mostra bem o mix de história e cultura que existe em Singapura e as etnias que formam o que é hoje a população do país. Como é possível ver nas ruas e na separação dos bairros singapuranos, os jardins étnicos do Gardens by the Bay estão separados por jardim Indiano, Chinês, Malaio e Colonial.

Cada um desses jardins possui algo para nos ensinar sobre a cultura e costumes de determinado povo, seja em relação a comida, medicina, religião, crenças, arquitetura ou qualquer outro aspecto que seja interessante sobre os países representados ali. Aproveite o caminho entre um jardim e outro e descanse, leia ou curta um pouco do silêncio que reina nos corredores cobertos por plantas.

Arte em Singapura

Arte e esculturas no jardim

O Gardens by the Bay possui mais de 40 esculturas que vieram de vários lugares do mundo, e foram feitas em pedra ou artesanato e que inseridas entre árvores e plantas lindas, formam uma paisagem perfeita. As mais famosas são:

Floral Clock: um relógio feito com diversas plantas tropicais, o Dragonfly Riders – as libélulas que ficam no meio do Dragonfly lake.

Diaspora: uma escultura feita em duas partes, que pode ser vista no Jardim Chinês e que se completa quando você se posiciona corretamente atrás dela

Planet: com sete toneladas de bronze, a escultura representa o filho Lucas do artista Marc Quinn dormindo, e é uma ilusão que nos faz perguntar como tanto peso é seguro daquela forma, e a ideia do artista foi criar um paradoxo com a relação de peso do nosso planeta. Existem outras esculturas muito bonitas e interessantes no jardim e que valem a pena uma visitinha.

Gardens by the Bay

O SuperTree Grove: Ás famosas árvores gigantes

O SuperTree Grove é uma espécie bosque que abriga a maioria das 18 Super Árvores que existem em todo o Gardens by the Bay. A maior dessas árvores chega a uma altura de 50 metros e possui um elevador que permite a visita ao topo dela.

A visita ao bosque pode ser feita tanto durante o dia quanto à noite, e os dois momentos são sempre perfeitos para ver a beleza das árvores gigantes e a paisagem de Singapura. O legal é chegar por lá perto do horário do pôr do sol e andar até que se inicie o show de luzes, que toma conta das árvores e muda as luzes de acordo com o ritmo da música. O show acontece sempre em dois horários: 19:45 e 20:45.

O "bosque" das Super Árvores no Gardens by the Bay

O “bosque” das Super Árvores | Foto: Bruno Miguel

As outras Super Árvores podem ser encontradas no Silver Garden ou no Golden Garden, que fica perto da entrada principal.

Victória relaxando em um dos jardins étnicos.

Victória relaxando em um dos jardins étnicos

Outras atrações no Gardens by the Bay

O jardim é gigante e possui outras atrações que podem nos prender por horas.

Nós passamos por um aquário de peixes gigantes (que para nós foi estranho pois pareceu que os peixes não são grandes naturalmente, mas que eles foram alterados de algum jeito), o Sun Pavilion – que abriga várias espécies de cactos de várias partes do mundo (inclusive do Brasil) e até alguns animaizinhos, um jardim montado com atrações para crianças e outros lagos que vão aparecendo ao redor do parque.

Após ter visto todas as atrações abertas ao público, é possível que sobre tempo para as atrações pagas, que são realmente incríveis.

Cloud Forest em Singapura

Cloud Forest | Foto: Divulgação

As atrações pagas

Nós não conhecemos as atrações pagas do Gardens by the Bay, pois ou estavam lotadas ou estavam fechadas por conta do evento de Natal que estava acontecendo por lá. De qualquer forma, vendo por fora (sim, os vidros são transparentes) e pesquisando as informações na internet, dá pra ter uma ideia de que os lugares são fantásticos. As atrações pagas são:

O Cloud Forest

Esta atração e o Flower Dome são duas estufas criadas para reproduzir o clima e natureza encontrada em outros países, o ingresso comprado dá o direito de visitar as duas estufas.

No caso do Cloud Forest, foi recriado um clima tropical um pouco mais úmido, que é parecido com o clima que temos em algumas partes do Brasil. A grande atração desta estufa é a linda montanha que possui uma cascata que surpreende até mesmo quando vista de fora.

O passeio começa na parte de cima da montanha, que é acessada com a ajuda de um elevador, dali o visitante vai descendo e aproveitando a selva como se estivesse em um país com um clima parecido. Nós víamos as crianças locais e estrangeiras se divertindo muito ao passarem pelas cascatas, que nos lembrou muito a nossa viagem ao lado argentino das Cataratas do Iguaçu.

O Flower Dome

Este dome é gigante e possível ver de várias partes da cidade. Nele, foi recriado um clima mais mediterrâneo, onde é possível encontrar diferentes espécies de flores, plantas e até árvores grandes.

OCBC Skyway, ponte entre as Super Árvores no Gardens by the Bay

OCBC Skyway, ponte entre as Super Árvores | Foto: Bruno Miguel

A OCBC Skyway (Passarela suspensa)

Essa é a passarela suspensa que fica entre as arvores do SuperTree Grove, e foi a nossa maior tristeza em Singapura por não termos visitado.

A passarela pode ser acessada através de um elevador que existe dentro de uma das árvores e torna o caminho até lá um pouco mais fácil.

Nós já havíamos pesquisado e sabemos que o visual por lá é lindo e que é possível ter um visão de todo o jardim, mas além disso, é possível ver outras partes da cidade como toda a Marina Bay, o porto, a parte onde ficam os arranha-céus, o Singapore Flyer entre outros pontos interessantes.

Portanto, é um passeio que vale a pena e com certeza estará no topo da lista para quando voltarmos a Singapura, e se você for na época de festas de fim de ano, pode ser que esteja fechada para algum evento.

Veja também: O que fazer em Singapura: roteiro pela cidade-estado

Alimentação e estrutura do Gardens by the Bay

Nós estamos sempre preparados quando saímos de casa/ hotel, e sempre levamos um biscoito ou fruta para comer durante o dia, pois nem todos os lugares terão comida ou nem sempre será um preço acessível para o nosso budget.

Quando se fala de comida no Gardens by the Bay pensamos na mesma coisa, pois nós andamos muito lá por dentro e quando a fome bateu, lá estava a maçã deliciosa e uns biscoitinhos. Mais tarde paramos para comer em um dos restaurantes da praça de alimentação na entrada principal.

Ao redor do jardim existem vários carrinhos que vendem comida e bebida, mas é na entrada principal que está a maioria dos restaurantes, lanchonetes, cafeterias e sorveterias (até o Mc Donald’s conseguiu um espacinho lá dentro).

Transporte para circular no parque

Em relação à estrutura do jardim, é possível dizer que tem tudo o que precisamos que vai desde banheiros e bebedouros por toda parte até um shuttle bus que faz o transporte de pessoas dentro do jardim, e tudo é muito bem sinalizado.

Dica: Não esqueça de levar repelente, pois quando o sol se põe os mosquitos fazer a festa atacando os que estão desprevenidos. Por sorte, havíamos esquecido o repelente dentro da mochila e isso nos salvou. 😛

Como chegar ao Gardens by the Bay

Como estávamos fazendo house/pet sitting em Singapura, não ficamos em uma área assim tão turística (o que preferimos) ou próxima ao MRT, mas o transporte de Singapura é tão bom que tudo funcionou perfeitamente para nós.

No nosso caso, saindo da River Valley Rd. Pegamos o ônibus 139, descemos na Marina Bay e fomos caminhando até o jardim. Para quem vai de MRT, a melhor opção é pegar a linha laranja e descer na estação Bayfront. Pegue a saída B e siga as instruções para chegar no jardim.

Na saída é possível ver a parte de trás do Marina Bay Sands e é ali que se entra para o parque. A estação Bayfront é linda e possui um espelho gigante com uns adesivos que remetem à natureza, plantas e flores diferentes, fazendo você se sentir quase dentro do Gardens by the Bay.

Outra opção é pegar um Uber ou táxi direto para lá, lembrando que esse caminho seria mais caro dependendo do número de pessoas.

Helix Bridge

Helix Bridge

Helix Bridge – saindo do Gardens by the Bay

A Helix Bridge é a mais longa ponte para pedestres de Singapura e possui um design bem diferente e inovador (como quase tudo no país). A ponte conta com duas estruturas de hélices que juntas remetem a forma das curvas do DNA, e quando a noite chega, as cores tomam conta, a deixando ainda mais bonita e destacada no meio da Marina Bay. Atravessando a Helix, você vai estar de cara com outras várias atrações da cidade.

Horário de funcionamento

O horário de funcionamento do Gardens by the Bay é de 5h às 2h da manhã, todos os dias. As atrações pagas abrem normalmente às 9h e fecham às 21h, porém estes horários podem mudar de acordo com a época do ano ou evento que esteja ocorrendo.

Confira o website do Gardens by the bay.

Endereço:

18 Marina Gardens Drive, Singapore 018953

Valores:

A entrada nos jardins do Gardens by the Bay é gratuita, porém, existem algumas atrações pagas (conforme informado acima) e em janeiro de 2017, a visita às duas principais cúpulas custava cerca de $30 dólares de Singapura, mas estes valores estão sempre mudando e por isso recomendamos que confira diretamente no site oficial do jardim futurista.

Tempo de visita estimado:

Muitas pessoas falam que gastam em torno de duas horas para conhecer o parque. Isso pode acontecer sim, principalmente se você não tem muito tempo, e nesse caso, você provavelmente só verá a parte paga do jardim.

Pela nossa experiência, a dica seria separar pelo menos umas cinco horas ou uma tarde inteira para ver todo o Gardens by the Bay, e esperar para ver o show das luzes e depois partir para a Marina Bay e ver a noite iluminada por lá, ou ainda pegar o show das águas e luzes em frente ao complexo do Marina Bay Sands.

Marina Bay iluminada durante a noite - Gardens by the Bay

Marina Bay iluminada durante a noite

Hospedagem perto do Gardens by the Bay

O Gardens by the Bay fica em uma das regiões mais visitadas da cidade e que não é nem um pouco barata, mas concordo que ficar hospedado por ali deve ser muito bom. O hotel mais famoso ali perto é o Marina Bay Sands, porém, existem outros que são muito bonitos e tão bons (ou até melhores) quanto o MBS, confira as sugestões abaixo:

Hotéis de luxo em Singapura ($$$)

Aqui você encontra outros hotéis naquela região.

Hotéis na mesma região e mais baratos ($$)

Aqui você também encontra hotéis mais em conta naquela região.

Achou este post interessante? Salve para ler depois!

Gardens by the Bay: O jardim cartão-postal de Singapura

Gostou das dicas? E como foi a sua experiência visitando o Gardens by the Bay? Conta pra gente aqui nos comentários! Se quiser ver mais fotos ou vídeos sobre Singapura e outros países da Ásia, siga as nossas redes sociais: Instagram, Facebook, Pinterest e YouTube.

Veja também:

Que tal compartilhar?

Indo para a Tailândia?

Conheça os melhores passeios para a sua viagem. Guias, fotógrafos e atendimento em português.

Somos Bruno & Vic, dois viajantes que se conheceram e se apaixonaram trabalhando a bordo de um navio de cruzeiros. Em 2016, saímos em uma viagem ao mundo e, desde então, levamos a nossa vida na estrada. Entre caronas, voluntariados e trabalhos online compartilhamos nossas inúmeras experiências e pouco dessa vida nômade aqui no Blog Na Proa da Vida, veja mais

Planeje sua viagem

seguro viagem

hotéis

chip de internet

trabalho voluntário

passeios & ingressos

transporte pela ásia

Veja mais sobre o mesmo assunto:

Nota: este post pode conter links de parceiros do blog Na Proa da Vida. Isso significa que ao comprar um de seus produtos você estará ajudando na manutenção do nosso blog e do conteúdo de qualidade produzido para você. Não se preocupe, você não paga nadica de nada a mais por isso e ainda nos motiva a conseguir descontos exclusivos, em diversos serviços, para os leitores do Na Proa da Vida. Saiba mais.

Publicado em: Atualizado em Mar 1, 2021
i
<a href="https://www.naproadavida.com/" target="_blank">Bruno</a>
Bruno
Já morei numa casa de lata flutuante onde o maior prazer era descobrir os sete mares. Trabalhei nos maiores eventos esportivos do mundo e vi o Bolt voando para mais um ouro no Rio de Janeiro. Hoje viajo o mundo sem data de volta para casa, na verdade, tenho chamado o mundo de minha casa. Não conto quantos países conheci pelo número de carimbos no passaporte, pois às vezes conheço dez países dentro de um só. Mergulhador e amante do oceano, amo aprender novos idiomas e coisas novas e escrevo sobre algumas das minhas aventuras no Na Proa da Vida.

Pode ser interessante para a sua viagem

E aí, que tal deixar um comentário? ?

6 Comentários

  1. Keul Fortes

    Uma foto mais linda que a outra.. Uau! Adorei as dicas! Post super completo. Parabéns pelo post!

    Responder
  2. Thiago

    Sou doido para conhecer esse lugar, as fotos são impressionantes. Lindo demais e muito curioso tambem. Vou salvar seu relato aqui, achei ele ótimo.

    Responder
  3. Pericles Rosa

    Oi Bruno.
    Que pena que um das estufas estava fechada quando vocês estiveram lá! O mesmo aconteceu comigo, mas esperei até o proximo dia para visitar as duas. Não ia sair de Singapura sem visitar a razão principal da minha visita 😉
    Ótimas dicas !! Esse Gardens by the Bay é realmente muito lindo.
    Abs

    Responder
  4. Tatiane Dias

    Que post completo! Eu fico encantada com essas árvores gigantes e adorei a dica de ir na parte da tarde e ver com a iluminação noturna e passar mais tempo por lá, afinal, o meu ritmo de viagem é slow travel, ou seja, capaz deu conseguir passar um dia inteiro no local..

    Dica anotada.

    Responder
  5. Susana | Falar de Viagens

    Os Gardens by the Bay têm de ser maravilhosos! Já vi várias fotos em vários blogs e de todos os ângulos essas árvores parecem lindas! É um dos locais no meu top 5 para visitar!
    Obrigada pelo post e pelas fotos! Enquanto não posso ir, vou sonhando 😀

    Responder
    • Bruno Miguel

      Sim, o lugar é sensacional e muito fotogênico! 🙂 Vale sim a visita…

      Responder

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *