Worldpackers: Como funciona o site que permite a troca de trabalho por hospedagem

Home » Trabalho Voluntário » Worldpackers: Como funciona o site que permite a troca de trabalho por hospedagem
Atualizado em 29/06/2021
Por: Bruno

Atualizado em 29/06/2021
Por: Bruno

“Travel Changes People” – Parece até clichê escrever essa frase aqui, mas essa é exatamente ideia que a plataforma Worldpackers quer passar ao mundo. “Viajar transforma as pessoas” 🙂

worldpackers brasil - o que é e como funciona

Viaje sem pagar hospedagem

Já imaginou poder viajar o mundo todo sem ter que pagar por hospedagem e ainda conhecer pessoas maravilhosas e ter experiências incríveis? Sim, isso é cada vez mais possível hoje em dia, e o site Worldpackers tem uma grande participação na mudança que vem ocorrendo na forma das pessoas viajarem.

A ideia de trabalhar como voluntário em hostel por troca de hospedagem, não é nova, muito pelo contrário, as pessoas fazem isso há décadas. E a grande jogada dos dois amigos que criaram o site foi exatamente unir o útil ao agradável.

Victória durante o nosso trabalho voluntário em um hostel na Albânia. - worldpackers

Victória durante o nosso trabalho voluntário em um hostel na Albânia. | Foto: Bruno/@naproadavida

Sobre a Worldpackers

O site Worldpackers Brasil faz o trabalho de conectar os viajantes que estão interessados neste tipo de troca com hostels do mundo todo, que estejam abertos a disponibilizar vagas para trabalhos voluntários e um cantinho para o viajante ficar, enquanto curte a cidade ou região.

Apesar de os hostels serem o ponto mais forte da Worldpackers, as experiências no site vão além disso. É possível se voluntariar para trabalhar em fazendas, ajudando em projetos sociais em comunidades do Brasil, África e outros países que precisam de apoio, ensinar crianças em escolas pelo mundo e fazer a diferença em ONGs que atuam em diversos setores.

A plataforma, que tem os brasileiros Riq Lima e Eric Faria como criadores, nasceu em 2013 e já conta com milhares de anfitriões espalhados pelo mundo, à espera de um viajante com habilidades que possam ajudar no dia-a-dia.

Riq Lima e Eric Faria - Worldpackers remunerado e vagas voluntariado

Riq Lima e Eric Faria | Foto: Projeto Draft

A lista de países em que é possível fazer este tipo de trabalho é imensa. Você já pode arrumar as malas e escolher os mais de 130 países em que a plataforma abrange, entre eles estão Itália, Portugal, Espanha, Holanda, Alemanha, Albânia, Croácia, Estados Unidos, China, Índia, Filipinas, Vietnã e Tailândia.

O que você sabe fazer?

O mundo quer saber: quais são as suas habilidades? Você é um bom cozinheiro, jardineiro, fotógrafo, pintor, arrisca a fazer uns drinks no bar ou tem muita facilidade em lidar com as pessoas e grupos, talvez seja bom no atendimento ou em redes sociais?

Pense um pouco, descubra no que você é bom e poderia ajudar num hostel e entre nessa viagem. Você não precisa ser um expert nessa habilidade, basta que tenha vontade de aprender e aperfeiçoar o que já sabe.

Blue Eye em Sarande, na Albânia. A nossa missão era levar os hóspedes aos pontos turísticos da cidade.

Blue Eye em Sarande, na Albânia. A nossa missão era levar os hóspedes aos pontos turísticos da cidade. | Foto: @naproadavida

Quando souber o que é capaz de fazer em troca de hospedagem mundo afora, é hora de entrar na plataforma e se cadastrar. E mesmo que você esteja em dúvida, vale a pena fuçar as oportunidades no site pois, às vezes, você acaba se surpreendendo com quantas coisas seria capaz de fazer a atividades para desenvolver.

Dica: A Worldpackers nos disponibilizou um link que dá USD10 (dólares) de desconto na sua viagem ao se cadastrar através dele, veja aqui e use o código NAPROADAVIDA.

Como funciona a Worldpackers

Entrando no site, tenha em mente o país que você deseja visitar e claro, fazer o trabalho voluntário. Crie um perfil e defina as habilidades que você acha que poderia fazer trabalhando num hostel, eco vila, comunidade, escola ou qualquer uma das propriedades no site.

Essa parte é muito importante, pois o seu perfil vai decidir se você será aceito ou não, portanto, separe alguns minutos e deixe o seu perfil completo, e com algumas fotos, de preferência.

worldpackers - habilidades, idiomas e experiência

Com o perfil completo, é hora de começar a buscar o seu host ou a sua “próxima casa”. Digite o nome do país ou cidade que deseja conhecer e deixe que o site faça o resto do trabalho.

A plataforma trará as opções de voluntariados disponíveis no país de destino, a partir daí, você deve analisar os que lhe interessam e entrar em contato com eles para se apresentar e ver detalhes como disponibilidade, datas, condições de trabalho e etc.

Leia também:

Deu match, e agora?

Se deu match, e vocês dois concordam que as condições estão boas para ambos, é só partir para a próxima fase que é a confirmação.

Pagamento no Worldpackers

No início e ainda nas primeiras vezes que usamos o site, era cobrada uma taxa para cada viagem ou vez que você desejava usar o site e, o preço variava de um hostel para outro, podendo ser de US$10 a 50 (dólares). O que era complicado em alguns casos, mas ainda assim, bem vantajoso, considerando a economia durante a viagem.

Hoje, a Worldpackers possui diferentes planos que vão de 6 meses a 1 ano e contemplam uma assinatura individual ou para casais e amigos que viajam juntos. A assinatura custa cerca de US$49 dólares e é um investimento que vale a pena, principalmente se a sua viagem/experiência for no exterior.

Oportunidades e países disponíveis no Worldpackers

Oportunidades e países disponíveis no Worldpackers

Eles deixam bem claro que esta taxa não é para o hostel, mas sim para o site se manter organizado da forma que é. É uma taxa que vale a pena pagar, pois é muito menos que o valor que você gastaria em hospedagem na viagem e o site faz todo o intermediário com o seu host no país.

Lembrando que neste link você consegue US$10 (dólares) de desconto, o que pode te ajudar ainda mais na missão de viajar barato ou quase de graça.

Um ponto positivo de pagar e taxa e combinar tudo através do site é que, caso aconteça algum imprevisto ou problema relacionado ao seu anfitrião ou a oportunidade, eles te dão um suporte e te ajudam com hospedagem por um certo perído, até que seja encontrado novo voluntariado para você.

Importante: Contrate um seguro viagem antes de partir para outro país. Nós usamos a World Nomads, que possui um preço muito bom e nos ajudou MUITO quando precisamos. A Seguros Promo é um buscador que dá 10% de desconto com o código NAPROADAVIDA10.

A Worldpackers é confiável?

Sim, a Worldpackers é confiável e o site é seguro para reservar e fechar o seu trabalho voluntário ou intercâmbio no exterior. Nós estamos viajando pelo mundo há mais de 4 anos e conhecemos diversas pessoas que usaram a plataforma em algum momento e, grande parte das experiências foram sensacionais.

Os que tiveram algum tipo de problema no voluntariado, foram relacionados à pessoa que os gerenciava ou algo pessoal, o que foge completamente do controle da Worldpackers, que nada mais é que a ponte que nos conecta aos anfitriões. Leia bem os comentários sobre a oportunidade, envie mensagem para quem já esteve no lugar que você deseja ir e seja feliz. Pode confiar, que vai dar certo!

Nossas experiências com a Worldpackers

Trabalho voluntário: ensinando inglês em Bangkok, Tailândia

A nossa primeira experiência com a Worldpackers foi na Tailândia, onde fizemos um trabalho voluntário por um mês em Bangkok e ensinamos inglês para crianças de 3 a 12 anos. O projeto era uma fundação que ajuda as crianças locais, chamada Thong Tos Foundation. O trabalho era bem tranquilo e tínhamos uma programação para mudar os dias e dividir os voluntários, assim, todos tinham oportunidade de dar aula na escola budista, na muçulmana e no jardim de infância.

Crianças tailandesas que ensinávamos inglês em Bangkok. | Foto: Victória/ - worldpackers

Crianças tailandesas que ensinávamos inglês em Bangkok. | Foto: Victória/@naproadavida

Trabalho voluntário: produzindo conteúdo e levando hóspedes para passeios em Sarande, Albânia

Outra oportunidade de voluntariado muito marcante para nós foi em Sarande, no sul da Albânia, durante a nossa eurotrip de carona da Rússia à França. A nossa função era produzir conteúdos em vídeos e fotos para o Hostel Hasta La Vista e acompanhar os hóspedes em tours pela região, que é cheia de praias maravilhosas e montanhas de tirar o fôlego.

Curtindo as praias de Sarande, Albânia. | Foto: Bruno/@naproadavida

Curtindo as praias de Sarande, Albânia. | Foto: Bruno/@naproadavida

Nós viramos amigos do dono do hostel e, ao final, estávamos fazendo diversas coisas, além de gerenciar as reservas e o caixa do hostel. Foi uma experiência tão incrível que no ano seguinte eu voltei para lá e fiquei mais um mês, quando precisava sair da zona do Tratado de Schengen.

Em breve atualizaremos e faremos novos posts com as nossas experiência. Para nos acompanhar, basta acessar nossas páginas do Facebook, Instagram e no canal do YouTube. ?

Veja também:

Achou este post interessante e quer salvá-lo para ler depois? Clique na imagem para salvar no Pinterest e ler depois 😛

Worldpackers: Como funciona o site que permite a troca de trabalho por hospedagem

Que tal compartilhar?


Indo para a Tailândia?
Conheça os melhores passeios para a sua viagem. Guias, fotógrafos e atendimento em português.

Somos Bruno & Vic, dois viajantes que se conheceram e se apaixonaram trabalhando a bordo de um navio de cruzeiros. Em 2016, saímos em uma viagem ao mundo e, desde então, levamos a nossa vida na estrada. Entre caronas, voluntariados e trabalhos online compartilhamos nossas inúmeras experiências e pouco dessa vida nômade aqui no Blog Na Proa da Vida, veja mais

Planeje sua viagem

seguro viagem

hotéis

chip de internet

trabalho voluntário

passeios & ingressos

transporte pela ásia

Veja mais sobre o mesmo assunto:

Nota: este post pode conter links de parceiros do blog Na Proa da Vida. Isso significa que ao comprar um de seus produtos você estará ajudando na manutenção do nosso blog e do conteúdo de qualidade produzido para você. Não se preocupe, você não paga nadica de nada a mais por isso e ainda nos motiva a conseguir descontos exclusivos, em diversos serviços, para os leitores do Na Proa da Vida. Saiba mais.

<a href="https://www.naproadavida.com/" target="_blank">Bruno</a>
Bruno
Já morei numa casa de lata flutuante onde o maior prazer era descobrir os sete mares. Trabalhei nos maiores eventos esportivos do mundo e vi o Bolt voando para mais um ouro no Rio de Janeiro. Hoje viajo o mundo sem data de volta para casa, na verdade, tenho chamado o mundo de minha casa. Não conto quantos países conheci pelo número de carimbos no passaporte, pois às vezes conheço dez países dentro de um só. Mergulhador e amante do oceano, amo aprender novos idiomas e coisas novas e escrevo sobre algumas das minhas aventuras no Na Proa da Vida.

Pode ser interessante para a sua viagem

E aí, que tal deixar um comentário? ?

27 Comentários

  1. Dhebora

    Sempre tive vontade de experimentar o Worldpackers, mas como quase sempre viajo em casal, fico na dúvida se seria fácil conseguir o mesmo lugar para os dois. O que vocês me dizem disso? Rola fácil?

    Responder
    • Victória Farina

      Super rola, Dhebora! Eu e o Bruno sempre viajamos juntos e fazemos voluntariado pelo Worldpackers. Na verdade as vezes é até uma vantagem ser casal 🙂

      Responder
  2. vistos e idioma

    gostaria de saber sobre os vistos aplicados se e por conta do lugar ou por conta propiá, E sobre o idioma a pessoa tem que ter fluência?

    Responder
    • Victória Farina

      Oi Vitor! O visto e entrada no país é por sua conta. Sobre a fluência depende do que o seu host te pede então é melhor deixar bem claro a sua fluência antes de aceitar o job 🙂

      Responder
  3. Jordana Omena moreira

    Olá, nas minhas horas livres consigo trabalhar em outros lugares? ? Tipo bares, de gqrçonete, fazendo limpeza? Assim poderia pagar alguns gastos que venha a ter.
    Obrigada!

    Responder
    • Bruno Miguel

      Oi Jordana, tudo bem?
      Então, basicamente você faz o que quiser em suas horas livres, e normalmente as pessoas saem para conhecer os lugares ou ficam descansando no próprio lugar de voluntário, que era o nosso caso nas praias lindas de Borneo.
      Acho que você pode fazer sim, mas é bom falar com o pessoal do lugar que faz voluntário antes, pois na Malásia, vi a situação de uma menina holandesa que trabalhava em uma cafeteria pela manhã e à tarde fazia o trabalho voluntário no hotel, mas a dona não gostou disso e pediu que ela saísse do hotel.
      Ela dizia que a menina queria ser esperta demais! Sei lá, tem pessoas que vão aceitar numa boa, outras vão pensar isso…
      Tenta sentir o ambiente nos primeiros dias, e aí vc vai saber se rola! Em Borneo, nós fazíamos redes sociais para um eco lodge, e à noite trabalhávamos online para uma empresa do Brasil, usando o espaço, internet e alguns móveis do lugar, mas o dono era a melhor pessoa do mundo e não se incomodava nem um pouco. Então vai muito da situação! Valeu pelo comentário, qualquer dúvida, manda aqui! 🙂

      Responder
  4. Erika

    Adorei e estou indo fazer na asia. Mas como vc faz em relação ao seguro?? Vc contrata um seguro para cada país q vc vai? E a passagem de volta? Geralmente na imigração eles pedem uma passagem de volta, vc ja tem comprada para o proximo destino???

    Responder
    • Bruno Miguel

      Oi Erika, tudo bem?
      Então, esse tipo de site é somente o intermediador do seu contato com o hotel, fundação, fazenda ou qualquer lugar que vá te receber como voluntário no país! Então, o seguro viagem é por conta do viajante. Nós usamos sempre a World Nomads (http://bit.ly/worldnomadsnpv) e eles foram ótimos quando eu bati a cabeça e precisei ir para um hospital em Koh Samui, na Tailândia. Existem algumas cotadoras no Brasil como a Seguros Promo (http://bit.ly/segurospromo_indica) e a Real Seguro Viagem (http://bit.ly/realseguroviagem), dá uma olhada nisso antes de sair do país, é muito importante!

      Dificilmente eles pedem a passagem de volta, a não ser que esteja indo para um país onde se paga o visto ou é ainda “fechado”como o Myanmar (o primeiro lugar a pedir passagem de saída). Quando chegamos na Tailândia, tínhamos passagem de volta, mas nunca pediram e essa nós compramos sabendo que seria uma passagem perdida, mas era mais barato comprar os dois trechos que só de ida haha. Aqui, alguns pedem para ver sua reserva de hotel, e nós normalmente temos uma pré reserva feita no booking (http://bit.ly/bookingnpv) ou no agoda (http://bit.ly/agodanpv), pelo menos de uma noite.

      Qualquer dúvida, tamo por aqui! 🙂

      Responder
  5. Áquilo

    Em relação a alimentação, como funciona?

    Responder
    • Bruno Miguel

      Fala Áquilo, normalmente você paga pela alimentação… Nós já ficamos em lugares que nos davam o café da manhã, outro que nos dava toda a alimentação, desde que fosse comida asiática e outro que não dava nada. Varia de cada lugar, mas isso é bom acertar antes de chegar lá, pra evitar frustrações. (y)

      Responder
  6. mel

    qual o valor a parte voce recomenda levar (para 1 mes) , para caso eu queira comprar algo do meu agrado

    Responder
    • Bruno Miguel

      Depende de onde você vai Melissa, e também do que você pretende fazer no local! Nós aproveitamos bastante a cidade quando estamos no lugar e não pagamos hospedagem. Vale a pena pesquisar os valores de alimentação e atrações pra fazer uma conta de quanto vc gastaria por dia! 😉

      Responder
  7. Edvânia

    Gostaria de saber se posso levar outra pessoas comigo?

    Responder
    • Bruno Miguel

      Normalmente eles pedem que cada um tenha um perfil no site Edvânia, mas nós conseguimos uma vez uma oportunidade para os dois com um só perfil! 🙂

      Responder
  8. Renata

    Tenho uma dúvida. Qual a segurança que tenho em relação às instituições? Se quero ir lra pra África por exemplo, e chego lá e é uma fraude. Como funciona SOBRE a veracidade dos lugares participantes?

    Responder
    • Bruno Miguel

      Então Renata, com o Worldpackers eu me senti um pouco mais seguro, viu? Quando fomos pra Bangkok, nos incluíram em um chat em que todos os viajantes que estavam indo para lá podiam trocar ideias e experiências, e isso ajudou bastante.
      Acho que a galera do site tá de olho nas instituições que podem ser uma fraude, mas é sempre bom vc ver os comentários e até enviar mensagem para as pessoas que já passara por lá! 🙂 O Worldpackers também possui um suporte que te ajuda caso algo dê errado com a instituição… Vale a pena tentar, viu! Qualquer dúvida nos avise e obrigado pelo comentário! 🙂 Ahhh, e se você ainda não se cadastrou, por esse link eles te dão USD10 de desconto na viagem: http://bit.ly/worldpackersnpv 😉

      Responder
  9. Pedro Henriques

    Conceito diferente, eu não conhecia. Obrigado por partilhares esta informação que me pode ser util um dia destes!

    Responder
  10. Matheus Crespo da Silva

    Bacana, já tinha ouvido falar da plataforma mas nunca usei.
    Que legal a vaga que vocês encontraram na Tailândia, estou ansioso para ver o post contando como será a experiência.

    Responder
  11. Marcia

    Muito interessante! Você sabe dizer se há limite de idade?

    Responder
  12. Adelaide

    Adorei a ideia. Uma ótima opção para economizar e uma forma diferente para conhecer novos lugares e entrar em contato com a população.

    Responder
    • Victória Farina

      Com certeza, Adelaide! O site ajuda muito na sua viagem e muda totalmente a experiência! Obrigada pelo comentário!

      Responder
  13. Oscar | www.viajoteca.com

    Proposta interessante. Mais um exemplo de economia colaborativa. Eu pessoalmente não sei se me encaixo neste perfil para me tornar usuário do WorldPackers, mas se algo nesse sentido existisse 15 anos atrás talvez 😀

    Responder
  14. Escolho Viajar

    Olá! Interessante este post sobre o sistema do Worldpackers. Já testei o sistema irmão Workaway e acredito ser uma ótima forma de crescimento pessoal, economia de viagem e auxílio a outras pessoas e causas. Parabéns pelo post.

    Responder
  15. fernanda

    Muito bom, Bruno. Não sabia que o worldpackers foi criado por brasileiros.
    Eu ainda não consegui usar a plataforma porque sou incapaz de me planejar com antecedência para as viagens rs. Mas sempre recomendo no meu site pois conheço bastante gente que utiliza e curte. Muito legal!

    Responder
  16. Marlene Marques

    O conceito é muito interessante e já andei por lá a dar uma olhada 😉 Gosto especialmente do facto de ter reviews por parte de quem já passou por determinada posição/experiência. Ajuda no momento em que você tem que decidir se vai ou não.

    Responder
  17. Andrea

    Informações bem interessantes. Vlw por compartilhar..

    Responder
  18. Tina Wells

    Super legal a idéia para jovens viajantes com um orçamento apertado! Além de curitr um lugar novo, trabalhando se aprende muito da cultura local! Espero que vocÊs tenham um otima experiência!

    Responder

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *