Registro de estadia na Bielorrússia: o que é, como se registrar e evitar problemas

Home » Bielorrússia » Registro de estadia na Bielorrússia: o que é, como se registrar e evitar problemas

Atualizado em May 3, 2021

Por: Bruno

Atualizado em May 3, 2021

Por: Bruno

Assim como na Rússia, ao entrar no país, o viajante precisa realizar o registro de estadia na Bielorrússia. Por lá, brasileiros não precisam de visto de entrada e podem permanecer por um período de até 90 dias, desde que façam o tal registro obrigatório.

Na Rússia, o prazo para este registro é de até 7 dias após a sua entrada, já na Bielorrússia, o registro deve ser feito em até 5 dias.

Fazendo o registro com o dono do hotel Usadba Zamkovoe | Foto: Victória/@naproadavida - registro de estadia na Bielorrússia

Fazendo o registro com o dono do hotel Usadba Zamkovoe | Foto: Victória/@naproadavida

O que é o registro de estadia na Bielorrússia?

Esse registro é uma das formas que o governo tem de controlar e saber por onde os viajantes de cada país estiveram em sua passagem pelo território bielorusso.

Em teoria, os viajantes devem receber um papel da imigração (Migration Cardda mesma forma que fazem na Rússia) mas que, nós não recebemos ao entrar na Bielorrússia, na fronteira com a Lituânia, quando vínhamos de Vilnius em direção à Minsk.

Importante: não esqueça que o Seguro Viagem é OBRIGATÓRIO e deve ser ESPECÍFICO para viagem na Bielorrússia. Isso é muito importante!

Veja os valores para contratar o seu Seguro Viagem aqui e aqui.

Como realizar o registro de estadia na Bielorrússia?

O registro normalmente é feito pelo hotéis, hostels e afins, que no momento do check-in, tiram cópias do seu passaporte e preenchem um formulário com os seus dados e você deve assiná-lo. O registro é feito num lugar chamado Divisão de Cidadania e Migração do Ministério do Interior da República de Belarus.

Caso esteja hospedado na casa de moradores locais, como foi o nosso caso em Minsk através do Couchsurfing, o morador deve fazer o seu registro em um dos postos policiais ou da imigração, disponíveis para isso. Para fazer o tal registro de estadia na Bielorrússia, o morador deve ser o dono do imóvel ou ter algum documento ou contrato em seu nome relacionado a aluguel ou algo do tipo.

O acampamento em passamos alguns dias em Viliejka. Foto: Bruno/@naproadavida - registro de estadia na Bielorrússia

O acampamento em que passamos alguns dias em Viliejka. Foto: Bruno/@naproadavida

Nós fomos acampar com os nossos anfitriões e eles esqueceram de fazer esse registro nos dias em que estivemos por lá e nós também não sabíamos da necessidade do bendito registro. Isso virou uma preocupação, pois acabamos estendendo a estadia com eles no acampamento e, quando voltamos na segunda-feira, os dois tinham que trabalhar cedo e não teriam tempo de ir até a polícia fazer o registro conosco.

E pior, na terça-feira nós completaríamos 6 dias no país. Mas mesmo já estando no país há 6 dias, estávamos dentro do prazo, pois o domingo não entra nessa contagem dos dias.

Até quanto tempo é necessário fazer o registro?

Você somente precisa se preocupar com o registro de estadia na Bielorrússia caso fique mais de 5 dias no país. Se sair antes desse período não terá problemas.

Se você passar o fim de semana na Bielorrússia, o domingo não entra na conta desses 5 dias, ou seja, você teria 6 dias para realizar o registro, que foi o nosso caso. Nossos anfitriões ligaram para a polícia para confirmar esta informação e nós confiamos que não teríamos problemas caso o registro fosse feito no 6° dia.

Como fizemos o nosso registro de estadia na Bielorrússia

Os nossos anfitriões esqueceram de fazer o registro e nós não sabíamos muito bem como funcionava. Na nossa última noite com eles, pesquisamos e a informação era de que teríamos que nos registrar no dia seguinte se não saíssemos do país.

A nossa ideia era visitar as cidades de Nesvizh e Mir antes de sair da Bielorrússia para a Ucrânia.

Em frente ao Mir Castle, na cidade de Mir. Foto: Bruno/@naproadavida - registro de estadia na Bielorrússia

Em frente ao Mir Castle, na cidade de Mir. Foto: Bruno/@naproadavida

Como não teríamos tempo de ir com os anfitriões, resolvemos visitar as cidades durante o dia e, no fim da tarde, nos hospedar no hotel Usadba Zamkovoe Predmestie que faria o registro para nós e, que fica em frente ao Mir Castle na cidade de Mir. Eles pegaram as informações do passaporte e disseram que no dia seguinte fariam o registro referente ao dia em que chegamos.

No dia seguinte sairíamos da Bielorrússia e, somente na hora de passar pela imigração, é que saberíamos se o registro foi feito ou não. Arriscado, mas era a nossa única opção.

Veja opções de hospedagem em Minsk, Brest, Mir e outras cidades da Bielorrússia.

O que acontece caso o registro não seja feito no prazo?

Multa! Sim, você terá de realizar o registro da mesma forma e terá de pagar uma multa que pode ir de €20 a €500 (euros). Caso isso aconteça, é melhor que você faça o registro e pague a multa antes de chegar na fronteira de saída do país, pois a multa na hora de sair pode ser muito maior.

Além disso, caso você perca o tempo de realizar o registro a multa deverá ser paga por você e pelo seu anfitrião, por isso é bom fazer o quanto antes. Para quem está hospedado em hotel, hostel ou sanatórios, essa preocupação não existirá já que a administração da hospedagem cuidará de tudo isso para você..

Não viaje para a Europa sem seguro viagem! Na Europa o seguro é de extrema importância e na maioria dos países, os viajantes são obrigados a ter um seguro viagem para o período que passará no continente. Durante a nossa viagem, nós usamos a World Nomads e o suporte foi sensacional e em português sempre que precisamos.

Outro grande parceiro brasileiro é a Seguros Promo, que oferece 5% de desconto para os viajantes leitores do blog que usarem o código NAPROADAVIDA5.
Saúde durante a viagem não é brincadeira, não arrisque viajar sem seguro. 😉

A nossa saída da Bielorrússia para a Ucrânia

Saindo da Bielorrússia, nós pegamos um ônibus saindo de Brest para Kovel, na Ucrânia. E quando achávamos que seria tudo tranquilo como a maioria das saídas de todos os países que passamos, tivemos um susto, que foi menor e menos estressante que o da entrada.

Pedindo carona no trecho entre Mir e Brest, na Bielorrússia. | Instagram: @naproadavida - registro de estadia na Bielorrússia

Pedindo carona no trecho entre Mir e Brest, na Bielorrússia. | Instagram: @naproadavida

Desta vez, nós estávamos na fila como todas outras pessoas do ônibus e os motoristas atrás de nós. Quando chegou a minha vez, o oficial parecia não conhecer muito bem o passaporte brasileiro.

Ele examinou página por página, escaneou, colocou na luz vermelha, olhava para mim e para o passaporte a cada vez que passava pela página principal (tipo um cara-crachá) e repetiu esse processo por uns 30 minutos.

Sério, foram 30 minutos em que ele não falou nada, mas nós ficamos tensos achando que poderia ser algum problema por conta do bendito registro de estadia, do seguro Viagem específico para o país ou que ele inventaria outro problema.

Os motoristas do nosso ônibus já estavam bufando e olhando para o relógio enquanto o oficial repetia todo o processo e fazia uma cara de quem tinha um problema sempre que olhava a tela do computador. Passada a angústia, ele carimbou a minha saída e entregou o passaporte. A próxima era a Victória, que levou uns 10-15 minutos para que ele também olhasse as páginas e nos liberasse de vez para sair da Bielorrússia.

Assim, parecia que o registro por parte do hotel havia funcionado e nós estávamos saindo da Bielorrússia depois de dias tão legais que sequer imaginávamos que poderíamos viver quando pensamos em colocar o país no nosso roteiro de viagem.

Gostou das dicas? E como foi a sua experiência visitando a Bielorrússia? Conta pra gente aqui nos comentários! Se quiser ver mais fotos ou vídeos sobre a Bielorrússia e outros países da Europa, siga as nossas redes sociais: Instagram, Facebook, Pinterest e YouTube.

Veja Também:

Video: aprenda algumas palavras importantes em Russo para ajudar na viagem por países da região

Que tal compartilhar?

Indo para a Tailândia?

Conheça os melhores passeios para a sua viagem. Guias, fotógrafos e atendimento em português.

Somos Bruno & Vic, dois viajantes que se conheceram e se apaixonaram trabalhando a bordo de um navio de cruzeiros. Em 2016, saímos em uma viagem ao mundo e, desde então, levamos a nossa vida na estrada. Entre caronas, voluntariados e trabalhos online compartilhamos nossas inúmeras experiências e pouco dessa vida nômade aqui no Blog Na Proa da Vida, veja mais

Planeje sua viagem

seguro viagem

hotéis

chip de internet

trabalho voluntário

passeios & ingressos

transporte pela ásia

Veja mais sobre o mesmo assunto:

Nota: este post pode conter links de parceiros do blog Na Proa da Vida. Isso significa que ao comprar um de seus produtos você estará ajudando na manutenção do nosso blog e do conteúdo de qualidade produzido para você. Não se preocupe, você não paga nadica de nada a mais por isso e ainda nos motiva a conseguir descontos exclusivos, em diversos serviços, para os leitores do Na Proa da Vida. Saiba mais.

Publicado em: Atualizado em May 3, 2021
<a href="https://www.naproadavida.com/" target="_blank">Bruno</a>
Bruno
Já morei numa casa de lata flutuante onde o maior prazer era descobrir os sete mares. Trabalhei nos maiores eventos esportivos do mundo e vi o Bolt voando para mais um ouro no Rio de Janeiro. Hoje viajo o mundo sem data de volta para casa, na verdade, tenho chamado o mundo de minha casa. Não conto quantos países conheci pelo número de carimbos no passaporte, pois às vezes conheço dez países dentro de um só. Mergulhador e amante do oceano, amo aprender novos idiomas e coisas novas e escrevo sobre algumas das minhas aventuras no Na Proa da Vida.

Pode ser interessante para a sua viagem

E aí, que tal deixar um comentário? ?

4 Comentários

  1. Eduardo

    Muito legal! Sempre sonhei em viajar para lugares diferentes assim. A Bielorrússia parece ser um lugar lindo! Ainda bem que no final deu tudo certo para vocês.

    Responder
    • Victória Farina

      Sim, sempre tem um perrenguinho mas ai a gente já dá um jeito de visitar o país e conhecer melhor a cultura. Nós amamos muito a Bielorrússia e temos certeza que adoraria também, Eduardo! Se for para lá nos avise que temos altas dicas 🙂

      Responder
  2. Debora

    Nossa que medão… Ainda bem que tudo deu certo

    Responder
    • Bruno Miguel

      Sim, esse tipo de coisa é bom ficar de olho e não deixar passar… Pois uma coisa simples, pode acabar virando uma dor de cabeça!

      Responder

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *