Dicas de viagem para o Myanmar, informações sobre a Birmânia

Home » Myanmar » Dicas de viagem para o Myanmar, informações sobre a Birmânia

Atualizado em Jun 12, 2021

Por: Victória

Atualizado em Jun 12, 2021

Por: Victória

O Myanmar, ou antiga Birmânia, foi um dos países que mais amamos viajar no MUNDO. São tantas paisagens maravilhosas, templos incríveis e pessoas generosas que o país ficou marcado em nossos corações de uma maneira especial.

Sabendo o quanto foi difícil planejar nossa viagem de um mês pelo Myanmar pensamos em escrever este post com dicas de viagem para o Myanmar, informações gerais que coletei antes da viagem e também com as nossas opiniões pessoais após a viagem. Espero que super te ajude a planejar melhor sua passagem por este país incrível.

Balões em Bagan, no Myanmar

Balões em Bagan, no Myanmar | Foto: @naproadavida

Dicas de viagem para o Myanmar

Visto de entrada no país

Visto para brasileiros e a maioria das nacionalidades deve ser feito online com alguns dias de antecedência para entradas nos três aeroportos internacionais (Yangon, Mandalay e Nay Pyi Taw, que é a capital de Myanmar) através do site oficial (tome cuidado que tem muito site fake querendo te vender o visto). 

O visto vale por até 28 dias, custa US$ 50 e pode ser estendido por mais 14 dias com pagamento de taxa de US$ 3 por dia + US$ 3 de taxa administrativa.  

  • Atenção pois o visto online não é válido para entradas por terra.

Leia também: Vistos para viagem na Ásia: quais países são necessários e valores

Dicas de viagem para o Myanmar

Nosso passaporte carimbadíssimo depois de 1 ano viajando pelo Sudeste Asiático

Dicas de viagem para o Myanmar

Representação do Brasil no Myanmar

Eu sempre guardo essas informações e as deixo acessíveis já que, caso precise, não tenho o trabalho de pesquisar (ainda mais se for uma emergência):

Embaixada em Yangon
Chefe do posto: Alcides Gastão Rostand Prates7
Endereço: Nº 56 Pyay Road, 6 mile, Hlaing Township, Yangon, Rep da União de Myanmar
Email: administ.yangon@itamaraty.gov.br
Telefone: +(951) 507 482, 507 251, 507 225 Plantão Consular: +(959) 541 9573

Informações básicas sobre o Myanmar:

  • O nome da moeda do Myanmar é Myanmar Kyat (MMK) e se pronuncia CHIAT.
  • O idioma falado é o birmanês (em inglês se chama burmese)
  • A maioria da população é budista mas existem algumas outras religiões presentes no país como a muçulmana e cristã e outras minorias
  • Você pode chamar o país de Birmânia (em português ou Burma em inglês) ou de Myanmar. Ambos estão corretos.
  • A bandeira do Myanmar tem três listras, a de cima é amarela, a do meio verde e a de baixo vermelha. No meio tem uma estrela. Você pode ver um exemplo na foto abaixo.
Dicas de viagem para o Myanmar

Bandeira do Mynamar. | Foto: Bruno/@naproadavida

  • Birmânia: onde fica? Muitas pessoas nem sabem onde fica o Myanmar já que é um país que foi há pouco aberto pelo turismo. O Myanmar é localizado no Sudeste Asiático e é fronteira com a China, a Índia, o Bangladesh, a Tailândia e com o Laos.
  • Tome cuidado com as zonas proibidas! O país tem diversas guerras internas e, por isto, existem zonas que os turistas só podem entrar com autorização prévia do governo ou até mesmo é totalmente proibida a visita. Nós, durante o trekking que fizemos no Myanmar, passamos por diversas barreiras com pessoas armadas mas, mesmo assim, não nos sentimos ameaçados em nenhum momento já que é um movimento interno.

Dicas de viagem para o Myanmar

Hospedagem no Myanmar:

Como não é permitido ficar na casa de locais no Myanmar decidimos reservar algumas acomodações anteriormente pelo Booking.com e Agoda (sempre comparando o melhor preço). Como temos um roteiro bastante flexível e o valor dos hotéis no Myanmar não é tão baixo quanto os outros países do Sudeste Asiático, também deixamos para escolher hotéis em algumas cidades do Myanmar andando pelas ruas na chegada. É arriscado mas, como não somos super exigentes, deu certo na maioria das ocasiões.

Tenha sempre em mente que existem hotéis para todos os tipos de bolso mas, se preferir economizar, terá um quarto super simples e, na maioria das vezes com banheiro compartilhado. Os chuveiros dos hotéis mais em conta geralmente não tem água quente mas, para nós, isso não foi um problema já que na maioria das cidades que visitamos, estava MUITO calor.

Leia também: Como reservar pelo Booking.com: truques e como ter descontos!

Dicas de viagem para o Myanmar

Formas de viajar pelo país – Transporte pelo Myanmar:

Trem:

Maneira mais barata mas, com certeza, a mais demorada e menos confortável de se viajar pelo país.

Como viajamos da maneira mais low cost possível, escolhemos viajar de trem em diversos trajetos e adoramos a experiência. Além de amarmos viajar de trem pela paisagem ainda temos contato direto com os locais que são uns amores de pessoa. Mesmo não sendo super confortável, você chega em seu destino da mesma maneira 😛

Para mais informações consulte a Wikitravel (que me ajudou BASTANTE a organizar a viagem). Segue detalhes das principais rotas turísticas:

De Para Tempo de viagem Valor aproximado
Yangon Mandalay 16h De US$ 15 a 50
Yangon Golden Mount 6h US$ 9
Mandalay Pyin U Lwin 4h De US$ 2 a 4
Mandalay Hsipaw 7h De US$ 2 a 6


Mesmo se escolher não viajar de trem pelo país tenha em vista que o trajeto entre Pyin U Lwin para Mandalay é incrivelmente maravilhoso. Além da paisagem linda do país cheio de montanhas e vilas, você passa pela Gokteik bridge, uma ponte super famosa e a mais alta do país. 

Leia também: Trem no Myanmar: como é um trem no país e as classes para viajar

Trem no Myanmar.

Trem no Myanmar.

Ônibus noturno:

Um pouco mais caro, mas você economiza com hospedagem além de acordar e estar no seu próximo destino. Tem diversos tipos de classes e horários, assim você pode escolher a que mais encaixa no seu bolso e roteiro.

Ps: a maioria deles tem ar-condicionado e são SUPER congelantes então deixe com você casaco, luva e tudo que pode para se proteger e dormir bem hehehehe (eles normalmente te disponibilizam travesseiro e mantinhas que são muito bem-vindas).

Dica: Quando comprar um transporte (principalmente de ônibus) veja se o pick-up no hotel está incluso já que as distâncias entre o hotel e o ponto de partida do ônibus podem ser BEM grandes.  

Trajetos mais utilizados e detalhes:

De Para Tempo de viagem Valor aproximado
Yangon Mandalay 10h MMK 10.400
Yangon Bagan 10h MMK 12.000
Yangon Golden Mount 4h MMK 6.000
Mandalay Pyin U Lwin 2h MMK 1.500
Mandalay Hsipaw 5h30min MMK 4.500

Pode ser útil: Ônibus no Myanmar: dicas para viajar e transportes no país

Pescadores no Inle Lake, Myanmar.

Pescadores no Inle Lake, Myanmar.

Avião:

Mais caro ainda, mas bastante conveniente para distâncias maiores. Recomendado para quem não tem muito tempo no país e quer visitar duas cidades muito distantes umas das outras (principais companhias aéreas nacionais: Myanmar National Airlines, Air Bagan, Yangon Airways, Air Myanmar, Golden Myanmar Airlines, Air KBZ, Asian Wings e Air Mandalay).

É chocante mas você não pode comprar as passagem por cartão de crédito e, por isso, tem que contatar alguma agência de turismo do país para reservá-las. Outra particularidade de viajar de avião no país é que você tem que reconfirmar por telefone no dia anterior ao seu embarque.

Barco:

Em alguns trajetos você consegue se transportar pelos lindos caminhos de água nos rios que cortam o país. O valor é um pouco mais caro que as viagens de ônibus mas assim você consegue aproveitar o país de um outro ângulo.

Taxis compartilhados:

Outra opção mais econômica e menos confortável é utilizar os taxis compartilhados de uma cidade a outra. Nós utilizamos algumas vezes e éramos os únicos gringos em todo o trajeto, o que é super legal.

Dicas de viagem para o Myanmar

Quando visitar o país – Clima no Myanmar:

O período mais recomendado para fazer turismo em Myanmar é do fim de Outubro a Maio já que é a época seca, mas você pode visitar o país o ano todo. Só tome cuidado com a época de Junho a Outubro que é considerada a época de monções no país e pode chover bastante.

Se for visitar o país e quiser ver o lindo espetáculo de balões em Bagan planeje sua viagem para ir no final de Outubro adiante já que é quando inicia-se a temporada da atividade.

Um festival super incrível de participar é o Taunggyi Balloon Festival  (Em burmês se chama Tazaung Daing) que acontece entre meio de Outubro/começo de Novembro. Nós participamos do festival no ano de 2017 e adoramos a experiência.

Leia também: Passeios em Bagan: aproveitando os templos e a cidade da melhor forma

Escreveremos a respeito em breve mas, enquanto isso, veja uma timelapse que fizemos em um dos dias que visitamos o festival dos balões:

Outros festivais importantes do Myanmar:

  • Ananda Temple (em Bagan) – Janeiro
  • Shwedagon Pagoda (em Yangon) – Março
  • Ano Novo (Thingyan) – Abril
  • Phaung Daw Oo (em Inle Lake) – Outubro/Novembro
  • Pyin Oo Lwin balloon festival (Pyin Oo Lwin) – Outubro/Novembro
  • Indein Pagoda Festival (em Inle Lake) – Outubro
  • Oktoberfest (Yangon) – Outubro
  • Shwezigon Pagoda (em Bagan) – Novembro
  • Thanboddhay Pagoda Festival (Monywa) – Novembro
  • Hpo Win Daung Festival (Monywa) – Novembro 

Dicas de viagem para o Myanmar

Budget diário/médio

Nós somos viajantes econômicos e, por isso, tivemos um budget diário de 52.650,00 kyat para duas pessoas (cerca de 39 dólares). Somente um dia da viagem gastamos mais que este valor (em Yangon, quando visitamos a Shwedagon Pagoda). Tenha em vista que ficamos em guesthouses bastante simples sem água quente na maioria das cidades do Myanmar.

Para você que vai de férias pense em gastar cerca de 70 dólares por dia para duas pessoas.

Para mais ajuda a respeito disto, veja este site aqui (em inglês)

Dicas de viagem para o Myanmar importantes a respeito de dinheiro no país:

  • 1 US$ = 1.325,20 MMK / R$ 1,00 = 400,80 MMK
  • O país raramente utiliza moedas já que elas valem SUPER SUPER pouco e, por isto, estão quase fora de circulação.
  • Se for trocar US$ pela moeda do Myanmar (MMK, Myanmar kyat) tenha em vista que as notas devem ser super limpas, novas e bem cuidadas. Todas as vezes que trocamos dinheiro no país vimos a pessoa do câmbio olhando nota por nota para ver se tinha algo escrito e se a nota estava de alguma forma danificada. No aeroporto duas notas nossas foram recusadas pela atendente do câmbio. 
  • Leve notas de US$ 50 e US$ 100 já que a cotação para estas é melhor do que as inferiores (US$ 20, US$ 10,…) e troque em casas de câmbio oficiais para não ter problemas.
Hatbyinnyu Phaya, templo em Bagan (Myanmar)

Hatbyinnyu Phaya, templo em Bagan (Myanmar)

Dicas de viagem para o Myanmar importantes a respeito de dinheiro no país:

  • Você também pode pagar alguns serviços em dólar, mas tome cuidado com as cotações absurdas!
  • Nas cidades mais turísticas sempre há pelo menos alguns caixas eletrônicos espalhados (ATMs). O que sugerimos é que leve a maioria do seu dinheiro em notas de dólar e que troque o que acha que vai gastar no aeroporto, onde encontramos as melhores cotações de câmbio (além de serem mais confiáveis).
  • Existe uma taxa de 5.000 kyat por saque + a taxa do seu banco e há um limite de 300.000 kyat por saque.
  • Pagamento em cartão de crédito geralmente cobra-se uma taxa administrativa de 3 a 6% do valor.  

Não viaje para a Ásia sem seguro! Estamos viajando há mais de 3 anos pelo mundo e já tivemos diversos problemas na viagem que foram cobertos pelo nosso seguro viagem. Nós estávamos cobertos pela World Nomads e o suporte foi sempre sensacional e em português. Eles oferecem 5% de desconto com o código: PROADAVIDA.
Outro grande parceiro brasileiro é a Seguros Promo, que oferece 5% de desconto para os viajantes leitores do blog que usarem o código NAPROADAVIDA5.
Assista aos vídeos desta playlist para ajudar na hora de fechar o seguro e garantir o desconto.

Dicas de viagem para o Myanmar

Outras dicas de viagem para o Myanmar muito importantes:

  • Compre um chip com internet. É super barato e a internet é bem boa. Nós pagamos 3.500 kyat para ter internet e ligação. Utilizamos por 25 dias sem interrupções ou perda de velocidade, o chip da marca MPT (amarela e azul). Outras opções são a Ooredoo (que você vê propaganda pelo país todo) e a Telenor.
  • Já fique avisado que você paga uma taxa de turismo em Bagan (US$20) e no Inle Lake (US$10). Este pagamento podem ser feitos em dólares americanos ou na moeda local.
  • Uma coisa doida do país é que existem carros sendo dirigidos por pessoas na direita e na esquerda e, em algumas cidades, a mão é na direita e em outras é na esquerda. A razão de toda essa confusão é a colonização britânica. Nosso guia do Trekking em Hsipaw nos explicou que os ingleses vieram e implantaram a mão direita. Ai, quando o país teve sua independência declarada, o general simplesmente proibiu a mão direita somente em algumas cidades fazendo com que o país não tivesse um padrão super definido.

Sobre a cultura e história do Myanmar:

  • As pessoas são geralmente muito queridas, humildes e super honestas
  • A maioria dos homens usa uma saia longa tradicional da vestimenta deles que se chama “longyi”. Elas são geralmente bastante coloridas. Preste atenção quando eles amarram a saia no meio da rua, é super engraçado e curioso. Mais engraçado ainda é quando você vai entrar num templo e eles colocam em você e apertam MUITO forte. Se você se animar, compre um longhi e use por pelo menos um dia. O Bruno adorou a experiência.
  • A população do Myanmar usa um tipo de mistura natural no rosto que se chama “Thanaka” que é uma pasta que eles extraem to thanaka. Tente usar pelo menos uma vez o creme, é divertido e ainda protege e hidrata a pele. O thanaka é como uma maquiagem para os burmeses e serve para deixá-los, além de mais brancos com a proteção que ele traz, mais bonitos e característicos.
Burmês lindinho que brincamos na estação de trem

Burmês lindinho que brincamos na estação de trem em Pin U Lwin (Myanmar). | Foto: Bruno/@naproadavida

Dicas de viagem para o Myanmar

Sobre a cultura e história do Myanmar:

  • Os burmeses (principalmente os homens), em vez de fumar, mastigam um fumo enrolado em uma folha de banana. Este fumo se chama “betel nut” e é extremamente ruim, mas não deixe de provar e dar altas risadas 😛 O fumo é a razão das ruas do país serem todas marcadas com manchas muito vermelhas e, se reparar, dá pra saber exatamente quem mastiga o fumo já que os dentes são bem vermelhos e característicos.
  • Antes de visitar o país fiquei super preocupada ao saber que o Myanmar, ao invés de ter uma semana com 7 dias, tem 8. Mas, chegando lá percebi que isto não muda nada em nosso planejamento e viagem além de ser uma curiosidade super interessante.
  • Não use camisetas com fotos/imagens do Buda e, se tiver tatuagens deste gênero, tente evitar de deixá-las a mostra. Os policiais do Mynmar podem te prender ou até te deportar.
  • Os burmeses se cobrem no rosto e no corpo então evite sempre que possível utilizar decotes, shorts ou saias muito curtos para respeitar a cultura local. Principalmente nos templos, cobrir os joelhos e ombros é essencial.
  • Veja a lista de Patrimônios Mundiais da Humanidade do Myanmar aqui (em breve)
  • A escrita do Myanmar é muito diferente e parecem várias bolinhas. No país, até os NÚMEROS são diferentes da nossa escrita e isso complica bastante entender cardápios de lugares mais locais, por exemplo, ou até placas na rua que são ilegíveis
Dicas de viagem para o Myanmar

Escrita característica do povo do Myanmar. | Foto: Bruno/@naproadavida

Dicas de viagem para o Myanmar

Sobre a cultura e história do Myanmar:

  • Os monges e monjas do país tem tratamento e condições diferenciados. Eles tem que sentar no lugar mais alto e, muitas vezes, tem espaços reservados especialmente para eles. Não os toque de maneira nenhuma. Nunca dê dinheiro como doação a um monge, dê sempre comida.
  • Antes de viajar li que, para os budistas, o pé e a cabeça são partes muito importantes do corpo e que você não deve encostar na cabeça de ninguém ou apontar o pé na direção de uma pessoa ou coisa. Com o turismo nestes países os locais estão mais relaxados com estes costumes mas evite, principalmente quando está em um templo: NUNCA vire a sola do pé em direção ao Buda ou a um monge/monja.
  • O país esteve sob domínio dos ingleses (Reino Unido) até 1948. De 1962 até final de 2010 sofreu um regime militar super rígido e, após este período, o país foi aberto para o Turismo.
  • O primeiro governo eleito democraticamente foi somente em 2016 depois de muitos anos de regime militar. Os militares ainda controlam um pouco o país então não saia perguntando muito para os burmeses sobre a política do país deles já que é um assunto delicado além deles terem medo de serem castigados se falarem algo ruim.

Dicas de viagem para o Myanmar

Palavras em burmês para aprender e usar na viagem:

  • Olá = Min Gā Lar Ba (modo de falar: Minglabar)
  • Obrigada(o) = Tizudemaré ou Tizubá (esse é o modo de falar)
  • Quanto é? = Blau leh?
  • Eu sou do Brasil! = Jamá Brazi Gabá
  • Me desculpe = Wùn-nèh-ba-deh (modo de falar: wan ne ba dé)
  • Saúde! (quando se está brindando) = Tia (Modo de falar)
  • Filho da puta = Qui madá (somente para conhecimento, não para usar por ai)

O que não deixar de comer e beber no Myanmar:

  • Chicken curry (modo de fala: chicken chietá hin): que delícia de comida. Mesmo sendo um pouco oleosa e, as vezes, apimentada, é o prato que mais recomendamos que você coma no país. O mais surpreendente é que você pede o curry e ele vem acompanhado de diversos outros pratinhos com legumes deliciosamente deliciosos. Se você é vegetariano experimente o eggplant curry (beringela) que também é uma delícia.
  • Mohinga: prato nacional e muito famoso. É um tipo de macarrão super diferente e gostoso que os burmeses geralmente comem no café da manhã.
  • Tea leaf salad (ato é salada): salada super forte e gostosa bastante tradicional do país.
  • Tomato salad e potato salad: saladas deliciosas para comer acompanhando os pratos principais.
  •  Lapae yea: chá mais delicioso da VIDA. Tomávamos pelo menos dois desse por dia e compramos um saco imenso com vários mini saquinhos para levar em nossas viagens já que, mesmo com pouco espaço na mala, valia a pena o peso.
  • Myanmar beer e Mandalay beer: como todo viajante brasileiro que se preze, não deixe de provar a cerveja local.
  • Se você, como nós, ama comida indiana, vai se apaixonar pelo país mais ainda já que existem MUITOS restaurantes indianos espalhados pelo Myanmar.
Comida típica do Myanmar

Chicken curry com seus tradicionais acompanhamentos deliciosos. Foto de: Victória Farina

Dicas de viagem para o Myanmar

Cidades que visitamos no Myanmar

Passamos um mês viajando pelo país e ainda temos que voltar para visitar algumas cidades que faltam 😛 O Myamar é imenso e super interessante.

Segue nosso roteiro no país com as cidades do Myanmar que visitamos:

  • BKK – Yangon
  • Yangon: 2 dias
  • Hpa-an: 2 dias
  • Golden Rock: 1 dia
  • Viagem de Golden Rock para Mandalay (Cruzando o país de trem): 1 dia
  • Mandalay: 3 dias
  • Pyin OO Lwin: 1 tarde/noite/manhã
  • Passagem pela Gokteik bridge
  • Hsipaw: 1 tarde + 3 dias de trekking + 1 dia de descanso
  • Inle Lake: 4 dias
  • Bagan: 4 dias
  • Bagan – Mandalay – Bangkok
  • Total: 25 dias

Explore nosso conteúdo sobre o Myanmar

Gostou das dicas de viagem para o Myanmar? Tem alguma dúvida? E como foi a sua experiência visitando o país? Conta pra gente aqui nos comentários! Se quiser ver mais fotos ou vídeos sobre o Myanmar e outros países da Ásia, siga as nossas redes sociais: Instagram, Facebook, Pinterest e YouTube.

Veja também:

Que tal compartilhar?

Indo para a Tailândia?

Conheça os melhores passeios para a sua viagem. Guias, fotógrafos e atendimento em português.

Somos Bruno & Vic, dois viajantes que se conheceram e se apaixonaram trabalhando a bordo de um navio de cruzeiros. Em 2016, saímos em uma viagem ao mundo e, desde então, levamos a nossa vida na estrada. Entre caronas, voluntariados e trabalhos online compartilhamos nossas inúmeras experiências e pouco dessa vida nômade aqui no Blog Na Proa da Vida, veja mais

Planeje sua viagem

seguro viagem

hotéis

chip de internet

trabalho voluntário

passeios & ingressos

transporte pela ásia

Veja mais sobre o mesmo assunto:

Nota: este post pode conter links de parceiros do blog Na Proa da Vida. Isso significa que ao comprar um de seus produtos você estará ajudando na manutenção do nosso blog e do conteúdo de qualidade produzido para você. Não se preocupe, você não paga nadica de nada a mais por isso e ainda nos motiva a conseguir descontos exclusivos, em diversos serviços, para os leitores do Na Proa da Vida. Saiba mais.

Publicado em: Atualizado em Jun 12, 2021
<a href="https://www.naproadavida.com/" target="_blank">Victória</a>
Victória
Nascida em São Paulo, estudou Lazer e Turismo (USP) e tem no DNA a palavra viagem. Ama dar dicas de viagens e contar as experiências que já viveu. Já visitou mais de 45 países e não pretende parar tão cedo.

Pode ser interessante para a sua viagem

E aí, que tal deixar um comentário? ?

15 Comentários

  1. Cláudia

    Artigo muito esclarecedor. Vai ajudar muito na nossa viagem!

    Responder
  2. rui batista

    Estive 2 semanas na Birmânia (Myanamar) e senti que deveria ter ficado o triplo. Não fui a alguns lugares onde vocês estiveram… e encontrei aqui um bom estímulo para voltar a um país fascinante 🙂

    Responder
    • Victória Farina

      Que legal que já visitou o Myanmar, Rui! Fico feliz de saber que compartilha do mesmo amor que nós!

      Responder
  3. Thais

    NOssa
    Que post completinho…. tirou todas minhas dúvidas para a viagem.
    Valeu por compartilhar.
    Abraços
    Thais

    Responder
  4. angela sant anna

    gostaria muito de ter visitado myanmar, mas era muito complicado para conseguir o visto na epoca. agora facilitaram! no fim foi bom que nao fui pois iria pegar epoca das moncoes!

    Responder
    • Victória Farina

      Ah, que bom mesmo que não visitou naquele momento Angela. Mas planeje-se voltar ao país que é maravilhoso (L)

      Responder
  5. Débora Resende

    Sou enlouquecida pelo Myanmar e doida para conhecer o país! Sonhando com meu mochilão pelo sudeste asiático, rs <3 Adorei as dicas e com certeza vão ajudar demais no meu planejamento (num futuro bem próximo, eu espero hehe)

    Responder
    • Victória Farina

      Ficamos felizes em ajudar e esperamos que seu sonho de visitar o Sudeste Asiático se realize em breve 🙂

      Responder
  6. Itamar Japa

    Um dos países que mais tenho desejo de conhecer! A cada vez que vejo, leio, ou ouço algo a respeito aumenta ainda mais esta vontade! Post super completo e informativo, adorei! favoritado!

    Responder
    • Victória Farina

      Que bom Itamar! Tem que ir visitar o Myanmar o quanto antes, heim! Antes que o turismo de massa chegue lá 😛

      Responder
  7. Paloma

    Uau que show, isso que é viagem kkkk adorei o roteiro e o passaporte, to louca para o meu ficar cheinho de carimbos assim também kkk, loca para viajar 🙂

    Responder
  8. Debora maraston

    Super incríveil Myamar, parece ser um país super interessante para se conhecer, despertou a minha curiosidade…

    Responder

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *